Mineradora irá investir mais R$ 2,2 bilhões em Serra do Salitre

Valor corresponde à ampliação do aporte que a Yara do Brasil, produtora de fertilizante, fará na planta de extração de fosfato.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Foto: Marcelo Barbosa / Imprensa MG

O governador Romeu Zema assinou na última sexta-feira (30/11), em Serra do Salitre, no Alto Paranaíba, um protocolo de intenção com a indústria de fertilizantes Yara do Brasil que prevê um investimento adicional de R$ 2,2 bilhões no complexo mineroindustrial do grupo no município.

Estima-se que o complexo receberá aportes da ordem de R$ 5 bilhões até 2021. Deste montante, até o momento, R$ 2,8 bilhões já foram aplicados. Quando estiver em fase plena de operação, a geração de emprego será 1,2 mil colaboradores, entre diretos e indiretos.

“É muito gratificante ver o setor privado investindo e acreditando em Minas Gerais. Precisamos de uma agricultura dinâmica, uma vez que o agronegócio é a grande vocação do Brasil. O país nos últimos 30 anos se transformou em um grande exportador de produtos agrícolas. Essa transformação é o que viabiliza o país”, destacou o governador durante seu pronunciamento.

Compromisso

O gerente-geral do Complexo Mineroindustrial de Serra do Salitre, David Crispim, afirmou que acredita muito em Minas Gerais. O investimento é uma prova disso. “O compromisso firmado com o Governo de Minas mostra a importância da agricultura para o Estado. “Além disso, demonstra o peso da indústria e da cadeia alimentar em Minas”, avaliou.

O complexo é o principal projeto da empresa no Brasil. Além dessa operação no estado, a unidade misturadora da Yara, em Uberaba, representa 12% do volume distribuído pelo país, atendendo todo o território mineiro e parte de Goiás. Recentemente, foram investidos R$ 7 milhões no Triângulo Mineiro em reformas, melhorias e adequações à legislação.

Abastecimento

A unidade da Yara contempla toda a cadeia produtiva do fertilizante, que vai da mina à porteira do agricultor. A previsão é que cerca de 950 mil toneladas de fertilizantes fosfatados deixem de ser importados a partir da entrada em operação total do complexo.

Cerca de 80% do mercado de fertilizantes no Brasil é importado. Dados da Associação Internacional de Fertilizantes (IFA) confirmam que o Brasil é o maior importador mundial do produto. A maior dependência brasileira é pelo nutriente potássico (95%), seguido pelos nitrogenados (80%) e pelos fosforados (55%).

Os investimentos em Minas Gerais vão ajudar a diminuir a vulnerabilidade do agronegócio nacional, especialmente em relação às variações dos preços no mercado internacional e a questões logísticas globais, já que o Estado tem disponibilidade de recursos naturais e está próximo dos grandes centros consumidores, com uma distribuição facilitada.

 

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS