Minas Gerais recebe especialistas do Brasil e do exterior no Fórum Políticas Culturais em Debate

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

De 24 e 27 de maio Minas Gerais sedia o Fórum Políticas Culturais em Debate. É a primeira vez que o evento acontece fora da Europa. Realizado pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Cultura, o Sesc em Minas, o Institut Français e a Embaixada da França no Brasil, o Fórum acontece nos espaços do Circuito Liberdade, em Belo Horizonte.

Especialistas renomados do Brasil e da França estarão presentes, envolvidos em inúmeras mesas-redondas e grupos de trabalho. Ao final de quatro dias do evento, a criação de uma plataforma será anunciada, cuja meta é contribuir para a estruturação e continuidade das políticas culturais públicas e privadas no Brasil, bem como seus desafios e rumos na atualidade e nas próximas décadas.

- Continua depois da publicidade -

Toda a programação é gratuita e as vagas, limitadas, estão esgotadas. Haverá transmissão de todo o evento via internet. A programação completa pode ser consultada em www.forumpoliticasculturais.mg.gov.br

Entre os especialistas que chegam da França, constam Jean-Pierre Saez, diretor do Observatório de Políticas Culturais (Grenoble); Lionel Arnaud, professor de sociologia na Universidade Paul Sabatier (Toulouse 3); o economista e professor da Universidade de Angers (França), Dominique Sagot-Duvauroux.

Na comitiva que representa o Ministério da Cultura e da Comunicação francês estarão presentes ainda Bertrand Munin, subdiretor da difusão artística e dos públicos na Direção Geral da Criação Artística (DGCA); o pesquisador em socioeconomia da cultura Jean-Michel Guy. Katherine Watson (Canadá, Finlândia), diretora da Fundação Cultural Europeia (ECF), é outro dos inúmeros destaques.

Igualmente notável é a lista de nomes brasileiros, que exibe, entre outros especialistas, o ensaísta Francisco Bosco; Teixeira Coelho, professor titular da Universidade de São Paulo; Juca Ferreira, ex-ministro da Cultura; Isaura Botelho, doutora em Ação Cultural pela Escola de Comunicações e Artes da USP.

O Fórum foi concebido como um espaço para o diálogo entre diversos profissionais da área da cultura, bem como de outras áreas do saber, para a construção de uma plataforma internacional colaborativa, com espaços de reflexão, de formação e propostas de consultoria a agentes culturais públicos e privados.

Trata-se de um momento de imersão. Ao longo de quatro dias, será proposto um amplo diálogo com atores de vários setores sobre o papel e conteúdo dessa plataforma, questões de governança e do seu funcionamento.

No período da manhã, acontecem as Ágoras, mesas-redondas com a participação de experts nacionais e internacionais. Os temas das Ágoras são territorialização e descentralização; ferramentas de observação cultural; participação dos habitantes na vida artística e cultural; turismo, cultura e desenvolvimento; e economia cultural criativa.

Na parte da tarde, os participantes de cada Ágora se reúnem em World Cafés, um procedimento criativo que visa facilitar o diálogo construtivo e o compartilhamento de ideias sobre os temas abordados na parte da manhã.

Esse processo reproduz um ambiente acolhedor e descontraído de um café e permite que os participantes debatam sobre diferentes questões relacionadas aos temas abordados por cada uma das Ágoras.

Ao mesmo tempo, comitês criativos irão trabalhar na idealização da plataforma. No último dia do evento será feita uma Devolutiva, onde será apresentada uma carta de intenção com as propostas para sua criação.

Para a concepção do Fórum a ser realizado em Minas Gerais, uma comitiva formada por representantes do Sesc em Minas e da Secretaria de Cultura estiveram na França neste ano e visitaram o Ministério da Cultura e da Comunicação Francês.

Também foram a Grenoble, no sudeste da França, onde visitaram o Observatório de Políticas Culturais, referência internacional no acompanhamento e reflexão sobre desenvolvimento e gestão cultural.

A coordenação geral é composta por Lucas Guimaraens (Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Cultura), Francine Póvoa (Sesc em Minas) e Jean-Pascal Quilès (Embaixada da França).

Plataforma

Dentro de uma parceria que inclui o Governo Francês, através da Embaixada da França e do Instituto Francês no Brasil, o Governo do Estado de Minas Gerais e o Sesc em Minas, será realizada a construção de uma Plataforma Cultural com intercâmbio de conhecimento e práticas da área cultural.

Essa plataforma tem a meta de contribuir para a estruturação e para a continuidade das políticas culturais públicas e privadas no Brasil.

A plataforma é iniciada dentro da cooperação franco-brasileira e tem um porte nacional e internacional aberto a outros países. Oferecerá espaços de reflexão, de formação e proposta de consultoria aos agentes culturais.

Também acompanhará a implementação da mudança nas organizações públicas (federal, estadual, municipal) e privadas (empresas culturais, empresas apoiadoras da cultura, etc.).

Fonte: Agência Minas Gerais

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -