Militante de ocupação de ‘Sem Tetos’ morre em ação policial em Uberlândia

PM fala em legitima defesa. MTST, em nota, cita "covarde execução". Caso será investigado.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Foto: Reprodução (Google Street View)

Um homem de 41 anos morreu durante uma abordagem policial na ocupação Fidel Castro, às margens da BR 050 em Uberlândia. Segundo a Polícia Militar, o indivíduo, qualificado como suspeito na ocorrência, estaria portando uma arma de fogo e que os agentes agiram em legitima defesa. Já o Movimento Nacional dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), através de nota, afirmou que o homem era coordenador da ocupação, não estava armado e foi “covardemente executado”.

O fato aconteceu no início da manhã da última quinta-feira (05/03). Horas depois, moradores da ocupação Fidel Castro protestaram contra a morte do homem e interditaram a BR 050. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) acionou a Polícia Militar para desbloquear a via. Os militares do batalhão de choque utilizaram bombas de gás lacrimogênio para dispersar o grupo.

Em nota enviada à imprensa, a Nona Região da Polícia Militar informou que os militares realizavam uma incursão nas proximidades da ocupação, quando se depararam com três suspeitos, sendo que um deles estaria armado. O grupo teria fugido por um matagal e o indivíduo, que estaria com o revólver, teria a apontado em direção aos militares. Neste momento, os PMs reagiram e efetuaram disparos. De imediato, eles não perceberam que o suspeito teria sido atingido. Foi solicitado reforço e em seguida feita uma varredura pelo local. Um suspeito de 36 anos foi preso ileso e o homem de 41 anos encontrado caído ao solo com sangramento na cabeça. Foi prestado socorro e o rapaz encaminhado para o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC/UFU), onde faleceu.

Foto: Reprodução (Google Maps)

A Polícia Militar ainda informou que encontrou um revólver calibre .38 junto ao homem. A arma estaria com três munições intactas, sendo que uma estava “picotada”, ou seja, teria havido o acionamento gatilho, mas o tiro falhou.

O Movimento Nacional dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), escreveu em nota: “[Ele] era e sempre será exemplo para os lutadores e lutadoras sem-teto, por sua dedicação à luta e à coletividade. Milhares de militantes como ele seguirão em frente, para que essa injustiça jamais seja esquecida”.

As circunstâncias da morte serão investigadas pela autoridades competentes. O Ministério Público também poderá entrar no caso.

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS