Marcão do Povo sugere “campo de concentração” e é suspenso do SBT

"Montar um campo de concentração de cuidados [...] leva a pessoa para lá, cuida dela com carinho" sugeriu o apresentador ao comentar a pandemia de coronavírus.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Marcão do Povo, Campo de Concentração, SBT
Marcão do Povo apresentava o Primeiro Impacto diariamente
Foto: Reprodução (SBT)

Marcão do Povo, apresentador do Primeiro Impacto, jornal matutino do SBT, causou polêmica ao mencionar a expressão “campo de concentração” durante a edição da última quarta-feira, 08 de abril.

Marcos Paulo Ribeiro de Morais, conhecido popularmente como Marcão do Povo, sugeriu ao presente, Jair Bolsonaro, que enviasse os pacientes, com sintomas de coronavírus, a um local, que ele associou a um “campo de concentração”. Ainda disse que os militares do exército deveriam ajudar na remoção e nos cuidados a essas pessoas.

- Continua depois da publicidade -

O termo “campo de concentração”, segundo a História, se refere aos locais para onde os perseguidos pelo regime nazista de Adolf Hitler eram enviados. No mais famoso, campo de concentração de Auschwitz, na Alemanha, aproximadamente 1,3 milhões de pessoas foram mortas, entre 1940 e 1945.

Confira a seguir a declaração de Marcão do Povo durante o Primeiro Impacto de quarta-feira (08/04):

Atenção, presidente! Não seria interessante montar um local, com o Exército, a Marinha, a Aeronáutica, para onde todas as pessoas que tivessem os sintomas, que tivessem o coronavírus, fossem levadas e bem cuidadas, bem tratadas, ao invés de espalhar da maneira que está sendo, todos os lugares, um gasto excessivo, as cidades paradas. Não seria interessante um local só para cuidar dessas pessoas? Não seria interessante pegar, por exemplo, Exército, Aeronáutica, Marinha e montar um campo de concentração de cuidados, com os equipamentos mais sofisticados, com os melhores profissionais, e colocar essas pessoas com problemas, com sintomas? Tem um sintoma, constatou, leva a pessoa para lá, cuida dela com carinho.

Diante da polêmica o SBT divulgou nota e informou que a opinião de Marcão do Povo não reflete o posicionamento da emissora. Também informou que o apresentador está suspenso de suas atividades. Leia a seguir:

Durante a exibição do programa jornalístico Primeiro Impacto, nesta terça-feira (7), o apresentador Marcos Paulo Ribeiro de Morais, popularmente conhecido como Marcão do Povo, se utilizou do espaço em nosso jornal para expressar uma opinião de cunho pessoal que dizia respeito ao tema tão delicado que o mundo e nosso país atravessam: a Covid-19.

Gostaríamos de esclarecer ao público, às autoridades, àqueles que estão na linha de frente ao combate incessante da pandemia e, em especial, às pessoas vitimadas, que de forma alguma a opinião expressada pelo apresentador reflete o pensamento, a atitude e o respeito que a emissora tem pelo momento atual. Temos total consciência da relevância do assunto e temos, a todo momento, nos preocupado em informar e esclarecer de forma isenta e imparcial os acontecimentos e as providências que as autoridades e todos brasileiros estão adotando para vencermos essa enorme crise de saúde já presente, e a econômica que se avizinha.

Desta forma, sinceramente lamentamos que o apresentador tenha usado nossa plataforma de modo que contraria tão profundamente os nossos princípios. A todos que de alguma forma possam ter se ofendido ou mesmo se indignado com as opiniões pessoais do apresentador, nossas mais sinceras desculpas.

Nossos profissionais de Jornalismo seguirão na dura missão de bem informar, sempre preocupados com o bem estar de todos os brasileiros.

O apresentador foi suspenso de suas funções.

O Triângulo Notícias checou, nesta quinta-feira (09), as redes sociais de Marcão do Povo e não encontrou nenhum posicionamento a cerca do acontecido.

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -