Manifestantes se reúnem com ministro e deixam Ministério das Cidades

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Após cerca de duas horas de ocupação do prédio do Ministério das Cidades na tarde de hoje (7), manifestantes deixaram o local e foram recebidos pelo ministro da pasta, Alexandre Baldy. Representantes de seis movimentos por moradia vindos de 16 estados cobraram do ministro mais recursos para as políticas habitacionais, principalmente para o programa Minha Casa, Minha Vida.

“A situação da habitação só se agrava. O acidente ocorrido em São Paulo é um que aconteceu em meio a tantos outros, com despejos, incêndios, de gente morando nas ruas”, disse a militante da União Nacional por Moradia Popular, Evanisa Rodrigues, em alusão ao prédio no Largo do Paissandu, em São Paulo, que desabou após incêndio e deixou cinco mortos e dois desaparecidos. 

- Continua depois da publicidade -

O ministro Alexandre Baldy se reúne com representantes de movimentos por moradia vindos de 16 estados, no acampamento montado em frente ao Ministério das Cidades.

O ministro Alexandre Baldy se reúne com representantes de movimentos por moradia  – Valter Campanato/Agência Brasil

Também participaram do ato representantes da Central dos Movimentos Populares, da Confederação Nacional de Associações de Moradores, do Movimento de Luta de Bairros e Favelas, do Movimento das Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos e do Movimento Nacional de Luta por Moradia.

Baldy negou corte de recursos para as políticas habitacionais e informou que serão publicadas amanhã (8), no Diário Oficial da União, novas contratações para o Programa Nacional de Habitação Urbana e para o Programa Nacional de Habitação Rural.

“O Ministério das Cidades, dentro do Programa Minha Casa, Minha Vida, tem em torno de R$ 9,7 bilhões para contratações no Orçamento Geral da União e de R$ 63 bilhões do FGTS [Fundo de Garantia do Tempo de Serviço] para habitação”, disse.

Segundo o ministro, a expectativa para este ano é contratar novas 700 mil unidades habitacionais. Baldy também informou que 410 mil obras paralisadas foram retomadas. “Para 2018, entre as obras que estão em andamento e as que serão contratadas, serão mais de 1,1 milhão moradias no país”, afirmou. 

FONTE: Agência Brasil

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -