Maduro anuncia aumento de 40% no salário mínimo venezuelano

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou aumento de 40% no valor do salário mínimo, das pensões e dos salários de funcionários públicos. Este é o sétimo aumento do ano. A medida foi uma nova tentativa para neutralizar a explosão de preços em uma economia com hiperinflação como a venezuelana. As informações são da Agência EFE.

“Anuncio o aumento de 40% do salário mínimo nacional e de todas as tabelas salariais em nível nacional, de professores, professoras, militares, policiais, médicos, médicas, funcionários públicos”, disse Maduro neste domingo (31) durante discurso de fim de ano.

- Continua depois da publicidade -

Maduro decretou também aumento de quase o dobro do bônus de alimentação conhecido como “cestaticket”. O objetivo foi garantir “a proteção do direito à alimentação do povo”, explicou. Com o somatório do salário e do cestaticket, os trabalhadores vão receber pelo menos 797.510 bolívares, cerca de R$ 787 segundo a taxa de câmbio oficial.

Já no câmbio paralelo, o que se aplica em todas as transações que não envolvam o Estado na Venezuela, este investimento mínimo integral fica em pouco menos de R$ 23.

Com o aumento, a pensão, somada ao chamado “bônus de guerra econômica”, o instrumento com o qual o chavismo tenta atenuar os efeitos de uma crise que ele atribui aos “especuladores” internos e aos EUA, os aposentados receberão por mês 347.914 bolívares, cerca de R$ 343 segundo o câmbio oficial.

A medida foi recebida com críticas por vários economistas. “É chover no molhado, mas também é preciso dizer isto sempre: uma política de aumento de salário mínimo unilateral partindo do Executivo e em ausência de uma política para reduzir a inflação só agrava o problema”, escreveu no Twitter Asdrúbal Oliveros, diretor da empresa de consultoria Ecoanalítica.

*É proibida a reprodução total ou parcial desse material. Direitos Reservados

Edição:

Fonte: Agência Brasil

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -