Livro organizado pela Unimontes apresenta vivências no Semiárido Mineiro

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

As transformações alcançadas nas comunidades camponesas do Semiárido de Minas Gerais, a partir de ações vinculadas à Educação do Campo, estão em destaque no livro “Opará e Jequi: os Vales e seus Saberes”.

A publicação, organizada por professores da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), também conta com a parceria de representantes das populações tradicionais regionais, dos trabalhadores sem terra, agricultoras e camponeses, além de pesquisadores e docentes da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), ligados à Licenciatura em Educação do Campo.

O trabalho será lançado, de forma coletiva, na próxima quarta-feira (13/12), às 19h, no auditório do prédio 3 (CCET), no campus-sede da Unimontes, em evento aberto ao público em geral. A distribuição gratuita já acontece junto a algumas escolas públicas das comunidades camponesas do Norte de Minas para uso acompanhado pelo Laboratório em Educação do Campo (LabÉdoCampo/Unimontes) e, ainda, em Escolas “Família Agrícola” (EFA’s) regionais.

No Vale do Jequitinhonha, foi distribuído nos Institutos Federais e nas EFA’s. A primeira apresentação da obra aconteceu durante as tradicionais Festas de Agosto de Montes Claros, em evento no Solar dos Sertões, do Centro de Agricultura Alternativa, e no Encontro dos Educadores promovido pela Secretaria Municipal de Cultura.

Com 100 páginas, o livro foi produzido pela “Articulação por uma Educação do Campo no Semiárido Mineiro”, sob a responsabilidade do LabÉdoCampo: Identidade, Território, Agroecologia – da Unimontes. O projeto financiado pelo Programa de Extensão Universitária (ProExt/2016), da Secretaria de Educação Superior (SESu) – Ministério da Educação (MEC).

A professora Magda Macêdo, do Departamento de Educação da Unimontes, é uma das organizadoras da obra e explica que, a partir de uma linguagem didática, a obra reúne seis anos de trabalho coletivo, a partir de experiências e discussões no ambiente universitário e junto às entidades, movimentos sociais e instituições dos territórios semiáridos em Minas Gerais.

“O livro foi criado a partir da Oficina para a Produção de Materiais Paradidáticos, coordenada pela Rede de Educação do Semiárido Mineiro (Resab), e financiada pelo Instituto Nacional do Semiárido (Insa)”, explica a professora. “Consideramos como uma comunhão de ideias e do esforço comum para apresentar as riquezas, belezas e características regionais”, acrescenta.

Outro ponto observado pelos autores está na apresentação de problemas, desafios e demandas observadas por estas comunidades nas últimas décadas, sob o ponto de vista da economia, desenvolvimento e Agroecologia.

“Elaborado na perspectiva da Educação do Campo, Educação Contextualizada e da Convivência com o Semiárido, a obra propõe o reconhecimento e a valorização, pela escola, dos diversos conhecimentos e saberes tradicionais. É uma leitura crítica sobre a realidade regional e o modo de vida da mulher e do homem sertanejo, seja do campo ou da cidade”, finaliza a professora.


Problemas em visualizar essa matéria? Clique aqui e confira a íntegra.


Fonte: AGÊNCIA MINAS

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles. Ao comentar você aceita nossos Termos de Uso e nossa Política de Privacidade.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.