Justiça Federal na Bahia condena empresa de amianto por danos coletivos

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

A Justiça Federal na Bahia condenou a companhia Sama Minerações Associadas a pagar R$ 500 milhões por danos morais coletivos, em quatro municípios baianos.

A decisão é fruto de ação movida pelos ministérios públicos Federal e Estadual, na Bahia. Segundo a Justiça, o valor da indenização deve ser pago aos municípios de Bom Jesus da Serra, Poções, Caetanos e Vitória da Conquista. O dinheiro deve ser utilizado na compra de equipamentos e construção de unidades para tratamento de doenças associadas à exposição do amianto.

De acordo com a ação, entre os anos 1940 e 1967, a Sama explorou amianto na jazida São Félix do Amianto, que fica em Bom Jesus da Serra, a cerca de 460 quilômetros de Salvador. No entanto, ao encerrar as atividades de extração, os ministérios alegaram que as medidas adequadas não foram adotadas, o que poderia amenizar os efeitos do mineral nos habitantes da região. Consequentemente, alega-se que os resíduos teriam contaminado número indeterminado de pessoas, incluindo trabalhadores da mina, os familiares e moradores do entorno.

A ação considera como réus a União, o estado e os municípios de Bom Jesus da Serra, Caetano e Poções. A todos, ficou determinado que deverão manter a junta médica criada em acordo anterior, que será responsável por todos os exames e procedimentos necessários para investigar doenças ligadas à exposição ao amianto.

Procurada pela reportagem, a Advocacia Geral da União (AGU) informou que ainda hoje (23) emitirá um posicionamento a respeito do assunto.

Além da multa de R$ 500 milhões, a Justiça Federal determinou a indisponibilidade de bens do ativo “não circulante” da Sama e o bloqueio dos lucros da empresa.

Na ação, são citadas 11 pessoas, caracterizadas como vítimas e, a cada uma elas, a Sama deverá pagar o valor de R$ 150 mil, por danos morais individuais, além de um salário mínimo que deve ser pago todo mês, de forma vitalícia. A determinação ainda exige que a Sama inclua as 11 vítimas em plano de saúde e forneça medicamentos e equipamentos necessários aos tratamentos dessas pessoas.

Em nota, a Sama confirma que foi notificada da decisão ontem (22) e que a atividade desenvolvida pela empresa no local era “devidamente regulamentada”.

Além disso, a Sama disse considerar o valor de R$ 500 milhões “incompatível” com os parâmetros estabelecidos por tribunais. A companhia informou que não fará o pagamento da multa, porque vai tomar todas as medidas legais que estiverem ao seu alcance para “reverter tal decisão nas instâncias superiores”.

O amianto é uma variação de sais minerais, originado naturalmente, e utilizado em diversos produtos comerciais, devido à flexibilidade e resistência química e térmica, por exemplo. A exposição constante às fibras de amianto, por meio de respiração, pode provocar doenças respiratórias graves, incluindo o câncer de pulmão.

Devido ao risco, o material faz parte do principal grupo de substâncias cancerígenas, listado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Por conta do risco, alguns países e estados brasileiros proíbem a industrialização e a comercialização de todos os tipos de amianto.

Fonte: Agência Brasil

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles. Ao comentar você aceita nossos Termos de Uso e nossa Política de Privacidade.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.