Junior Gaya: Familiares fazem manifestação no centro

Os manifestantes reclamam da morosidade da justiça.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Familiares do jovem Sérgio dos Reis Gaya, conhecido como Junior, foram as ruas no início da tarde de sábado (19/02) para reclamar da morosidade na conclusão do inquérito policial e da justiça militar. O jovem foi morto a tiro após um confronto com a Polícia Militar na madrugada do dia 16 de novembro de 2021.

Os familiares espalharam outdoors por alguns pontos de Patos de Minas com a mensagem: “Quem deveria o proteger, o executou!!!”. Os familiares questionam a atuação da Polícia Militar durante toda a ocorrência e também dos pronunciamentos dos membros da corporação após o ocorrido.

A Polícia Civil, através do delegado Luís Mauro Sampaio, que é responsável pelo caso, disse que o inquérito está em andamento e que faltam apenas a oitiva de algumas pessoas para que seja concluído.

O que diz a Polícia Militar?

O boletim de ocorrência indica que Sérgio dos Reis Gaya Júnior estava empurrando uma motocicleta no Bairro Alto da Serra. Dois PMs deram ordem de parada, contudo ele teria desobedecido.

O rapaz teria tirado a camisa, se apresentado como lutador e partido para cima dos militares. Na sequência, outras pessoas saíram da casa e passaram a desacatar a equipe.

Instantes depois, todos se trancaram na residência, tendo os PMs tentado negociar. Sem sucesso, o portão foi arrombado e a equipe entrou no imóvel.

Ainda segundo a ocorrência, foram utilizados spray de pimenta e arma de choque, porém Sérgio teria continuado a resistir, inclusive dando uma “voadora” (pulo combinado com um chute). Neste momento, um dos militares efetuou um disparo que atingiu o peito de Sérgio. Ele foi socorrido na viatura até o Hospital Regional, passou por cirurgia, mas faleceu.

Dois adolescentes, irmão e cunhado de Sérgio, foram apreendidos por desacato e resistência. A motocicleta, que motivou a abordagem, estava regular. O policial militar que efetuou o disparo foi preso e encaminhado para a sede do batalhão. O caso será apurado e julgado pela Justiça Militar de Minas Gerais.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

1 Comentário
O mais novo
Mais antigo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Cachorro louco
26/02/2022 00:04

Infelizmente há polícial e o policial policial é aquele que veste uma farda e se acha no direito de desacatar o cidadão fazem uma coisa e colocam outra no boletim pra se passarem de inocentes agora o policial é aquele cara bem preparado que sabe abordar um cidadão e tem respeito com a sociedade que paga imposto caro pra manter o salário deles

A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores. Eles não representam a opinião do Patos Notícias. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos são removidos.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Usamos cookies para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências.  Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.