JBS vende operações na Argentina, Paraguai e Uruguai por US$ 300 milhões

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A JBS divulgou hoje (6) um fato relevante, informando aos acionistas e ao mercado que vendeu as operações de carne bovina na Argentina, Paraguai e Uruguai. As subsidiárias foram adquiridas por empresas controladas pela brasileira Minerva pelo valor total de US$ 300 milhões.

Segundo o comunicado, o preço ainda está sujeito a um ajuste referente à diferença entre o capital líquido e o endividamento das marcas negociadas. A estimativa da JBS é de que, em 31 de março, as empresas tivessem saldo positivo de US$ 40 milhões.

- Continua depois da publicidade -

Comissão de Valores Mobiliários

A JBS é alvo de investigação em oito processos abertos pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão regulador e fiscalizador do mercado de capitais no Brasil. As apurações tentam esclarecer diversas notícias e especulações, em especial, as envolvendo o acordo de delação premiada firmado pelos controladores da companhia, os irmãos Joesley e Wesley Batista.

Entre as investigações, estão a suspeita de uso de informações privilegiadas e de que a empresa comprou uma grande quantidade de dólares antes do anúncio da delação, obtendo lucros com a variação cambial provocada pela divulgação do acordo. Também é apurada uma possível influência no Conselho de Administração da Brasil Foods (BRF).

O depoimento dos irmãos, associado a gravações de conversas de Joesley com autoridades do Executivo e do Legislativo, entre elas o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves, levou à abertura de inquéritos. Ontem (5), o presidente recebeu as perguntas formuladas pela Polícia Federal (PF) no inquérito que apura as denúncias feitas por executivos da empresa.

Fonte: Agência Brasil

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -