Hospital de Patos de Minas é condenado a pagar R$ 50 mil a paciente que teve infecção após parto

Decisão foi em segunda instância e ainda cabe recurso; G1 entrou em contato com casa saúde, mas não obteve retorno.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Por G1 Triângulo Mineiro

Uma mulher que perdeu o útero em decorrência de uma infecção após o parto pode receber R$ 50 mil em indenização por danos morais do hospital onde ficou internada em Patos de Minas. A decisão foi publicada pela 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) nesta sexta-feira (7). Decisão foi em segunda instância e cabe recurso. O G1 entrou em contato com unidade de saúde, mas não obteve retorno.

Segundo informações do tribunal, o caso aconteceu entre o final de agosto e início de setembro de 1997. A mulher relatou no processo que passou por uma cesárea na Casa de Saúde Imaculada Conceição e recebeu alta no dia seguinte, mesmo sentindo fortes dores na região abdominal. Ela voltou a ser internada uma semana depois, quando foi identifica um quadro de infecção. Além do útero, a paciente, que na época tinha 25 anos, também perdeu o apêndice.

G1 entrou em contato com o hospital, mas não obteve retorno sobre o caso até esta publicação. De acordo com o TJMG, hospital alegou na ação que não pode ser responsabilizado porque a infecção adquirida era oriunda da flora bacteriana da própria paciente e sustentou que não houve falha na prestação do serviço.

Em primeira instância, o juiz Marcus Caminhas Fasciani determinou uma indenização de R$ 30 mil por danos morais. O caso foi para análise em segunda instância depois que as partes recorreram.

🔔 ATIVAR NOTIFICAÇÕES

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Os comentários não representam a opinião do Patos Notícias. A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.