Homem mata mulher com pedradas, chama a polícia e confessa crime

O suspeito confessou o crime e levou a polícia até o corpo. Ele disse que foi contratado por uma traficante.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Homem mata mulher com pedradas, chama a polícia e confessa crime
Foto: Ilustrativa

Um homem de 42 anos chamou a polícia e confessou que matou uma mulher em Uberlândia. O crime aconteceu na tarde de terça-feira (13/08). Segundo a Polícia Militar, o suspeito ligou para o 190 e pediu que uma viatura policial comparecesse em uma avenida do Bairro Esperança.

No local, o homem relatou que havia matado uma mulher e deixado o corpo em meio a um matagal. O homem foi com os policiais até o local. A vítima, do sexo feminino, ainda sem identificação, foi encontrada sem os sinais vitais e com vários ferimentos pelo corpo. O suspeito disse, à polícia, que a vítima estaria com uma divida de drogas e que uma traficante teria pago ele para executar o serviço.

- Continua depois da publicidade -

Ainda segundo o boletim de ocorrência, o pagamento pelo homicídio teria sido cocaína. O homem disse que consumiu a droga antes de cometer o assassinato. A vítima seria garota de programa e teria ido até o local achando que iria fazer um ‘programa’ com o homem.

O suspeito ainda descreveu aos policiais como executou o crime. Ele teria dado várias pedradas na vítima, a maioria na cabeça.

A PM ainda informou que a vítima, segundo o suspeito, estaria devendo R$ 20,00 para a traficante, relativo a compra de quatro pedras de crack. Questionado a respeito da mandante, o homem não quis revelar o nome.

A perícia técnica da Polícia Civil esteve no local e procedeu com os trabalhos de praxe. Não havia nenhum documento de identificação junto ao corpo. Ele foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML)

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -