Governo leva programação de prevenção às drogas para aglomerados da capital

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Falar sobre drogas de forma lúdica, divertida e com muitas brincadeiras. Foi essa a experiência que crianças e adolescentes do Centro de Integração Martinho, localizado na Vila Nossa Senhora de Fátima, Aglomerado da Serra, tiveram a oportunidade de vivenciar.

Eles participaram da ação de prevenção ao uso e abuso de álcool e outras drogas, promovidas pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), por meio da Subsecretaria de Políticas Sobre Drogas (Supod).

O Centro, que atende crianças e adolescentes carentes da região e oferece oficinas de arte e educação no contra turno da escola, foi o primeiro a receber as atividades de política sobre drogas, que agora, além das escolas, se estende também para as vilas e favelas de Belo Horizonte.

Ao todo, 25 crianças e adolescentes, de 10 a 14 anos, puderam conhecer um pouco sobre o que são as drogas, seus diferentes tipos (lícitas e ilícitas) e os malefícios que causam. Isso por meio de vídeos em formato de desenhos, dinâmicas e rodas de conversa.

Na oportunidade, eles puderam tirar dúvidas, trocar informações e obter novos conhecimentos sobre álcool e outras drogas. “Com esse bate-papo, os meninos, além de se tornarem multiplicadores de conhecimento, desenvolverão escolhas conscientes. Eles conseguiram entender que as drogas só fazem mal”, explica a psicóloga da Sesp, Suely Azevedo.

O evento tem como intuito levar essa população, que convive com as drogas muito de perto, a falar abertamente sobre o tema e a entender que as drogas podem dar prazer, mas que isso é momentâneo e que os malefícios trazidos são muito maiores.

A subsecretária de Política sobre Drogas da Sesp, Claúdia Leite, conta que “a Supod, com essas ações de prevenção nas vilas e favelas de Belo Horizonte, busca articular esforços junto à população local, fomentando fatores de proteção nos territórios de maior vulnerabilidade social”.

FONTE: Agência Minas

🔔 ATIVAR NOTIFICAÇÕES

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Os comentários não representam a opinião do Patos Notícias. A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.