Governo brasileiro leva startups à França em busca de investidores

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Empresas brasileiras estão em Paris até sexta-feira (8) para participar de treinamentos e apresentar seu negócio e produtos a potenciais investidores. É a primeira viagem oficial promovida pelo StartOut Brasil, programa do governo federal destinado a promover a internacionalização de startups (nome dado a empresas iniciantes com proposta ou produtos inovadores, geralmente na área de tecnologia). Em outubro, o programa levou startups a Buenos Aires, ainda na fase piloto.

O StartOut Brasil terá investimento anual de R$ 3 milhões. O objetivo é levar 60 startups a cada ano para conhecer sistemas de inovação. Para 2018, estão previstas outras missões, a Berlim, Miami e Lisboa. Para a viagem atual à França, uma comissão julgadora selecionou 14 empresas.

As informações são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, executor do programa, que tem ainda a parceria do Ministério das Relações Exteriores, da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e da Associação Nacional Promotora de Empreendimentos Inovadores (Anprotec).

Durante a missão à França, os representantes das empresas brasileiras já participaram de um treinamento de pitch (apresentação rápida a investidores para convencê-los das vantagens do negócio) e de um seminário sobre internacionalização na Embaixada do Brasil.

Até sexta-feira, eles ainda visitarão incubadoras e aceleradoras de empresas e terão um dia reservado a reuniões individuais de negócios. Para Fernanda Checchinato, da Aya Tech, uma das empresas escolhidas para a viagem, o programa dá suporte a quem não tem muita experiência.

“A vantagem de vir com a agenda do governo é que nos proporciona treinamento para apresentação. [O governo] fez alguns contatos com empresas e nos deu todo um apoio de apresentação, colocação no mercado. É um programa muito interessante para o empresário de startup que não tem muita estrutura e conhecimento nessa área”, afirmou.

A Aya Tech desenvolveu um repelente de insetos para ser aplicado na roupa em vez de utilizado na pele. “No Brasil, já estamos em 200 pontos de venda. A expectativa é expandir nosso negócio para exportação e criar investimentos para poder expandir com outros produtos da nossa empresa”, explica Fernanda.

O coordenador de Atração de Investimentos Estrangeiros Diretos e Participação da Apex, Luiz Carlos T. de Carvalho, afirma que o objetivo, em última instância, é gerar mais emprego e renda para o Brasil. “A ideia é que a gente possa preparar essas empresas para terem planos de negócio robustos, sustentáveis, que possam ser apresentados a grandes investidores. Assim, elas podem ser investidas, crescer, ampliar mercados e, dessa forma, gerar mais emprego e renda”.

Fonte: Agência Brasil

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles. Ao comentar você aceita nossos Termos de Uso e nossa Política de Privacidade.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.