PM registra caso de estupro em Monte Carmelo; exames não confirmam

O caso foi registrado junto a Polícia Militar na terça-feira. As informações foram repassadas a nossa redação. No sábado (27) foi confirmado pela família do rapaz, apontado como suspeito, e também da menor, que exames apontaram que não houve estupro.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Na tarde da última terça-feira (23/10) a Polícia Militar foi acionada e compareceu no Bairro Santa Rita de Cassia em Monte Carmelo para apurar uma denúncia de agressão contra mulher.

Os militares verificaram que a agressão havia se dado devido a um possível estupro de vulnerável, onde , segundo relatos da solicitante, houve boatos de que seu marido, no dia 21/10, teria abusado sexualmente de uma menor de 6 anos.

O conselho tutelar foi acionado e compareceu ao local, sendo feito contato com os pais da menor e estes relatado que ouviram boatos de que o hem havia abusado sexualmente da filho, porem não tomaram providencias quanto à isso.

A genitora da vítima relatou ainda que a filha chegou em casa no dia 21/10 queixando-se de dores na barriga, com assaduras e sangramento na região intima.

A criança, na frente de seus pais, relatou às conselheiras tutelares que várias vezes o suspeito, havia abusado dela, dizendo ainda que ele usava a língua, e os dedos nas suas partes intimas.

As conselheiras tutelares levaram a criança, juntamente com seus genitores até o Pronto Socorro Municipal, onde foi encaminhada a um médico legista para ser constado se realmente houve abuso.

Diante da situação, foi realizado o deslocamento até a residência do suspeito, contudo este não foi localizado. As investigações ficaram a cargo da Polícia Civil que poderá instaurar inquérito.

Os familiares do suspeito procuraram nossa redação, na noite de quarta-feira (24/10) e informaram que estão recebendo ameaças. De acordo com o Código Penal Brasileiro, fazer justiça com as próprias mãos, é crime.

Um dos familiares ligados ao suspeito enviou a seguinte nota:

A criança supostamente sofreu abusos no domingo. E assim que o acusado teve ciência dessas acusações procurou os pais da criança para tomar providência , mas ambos optaram por não prosseguir pois não acreditavam no que foi dito. Na terça feira as conversas tomaram proporções que levaram a um outro familiar da criança invadir a casa do acusado quando ele estava no trabalho, e agrediu a esposa dele na frente de suas filhas. Assim que tomamos conhecimento fomos lá a socorro e acionamos a PM para tomar ciência de todo o caso. A criança passou por médicos ontem e entrevista do Conselho Tutelar hoje. Segundo a mãe da criança, o resultado foi que não haviam até o momento sinais de ter sofrido violência. Houve até o atual momento apenas acusações, e está em investigação. A família não acredita que o acusado deve ser impune, mas que pague pelo que cometeu, assim que provar o que foi cometido. Antes disso o que está acontecendo com ele é uma perseguição brutal e sem fundamentos.

No sábado (27) nossa reportagem foi informada por ambas as partes, família do suposto suspeito, e também da menor, que os exames tiveram resultado negativo, ou seja, não foram encontrados sinais de estupro. Além disso, em conversa com nossa reportagem, a mãe da criança, relatou que não disse que houve sangramento, o que contraria a versão divulgada pela Polícia Militar.

Maiores detalhes a respeito dos desdobramentos deste caso podem ser obtidas em uma nova matéria. Para visualizar, basta clicar aqui. 

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
A responsabilidade pelo comentário é totalmente de seu respectivo autor. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos serão removidos automaticamente. Para denunciar um comentário ofensivo clique na bandeira vermelha.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.