Fundo de População da ONU alerta sobre perigos do casamento infantil

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
A gravidez na adolescência é um dos principais motivos de casamento precoce no Brasil

A gravidez na adolescência é um dos principais motivos de casamento precoce no BrasilAgência Brasil/Marcello Casal Jr./Arquivo

O Fundo de População das Nações Unidas (Unfpa) está fazendo um alerta sobre o casamento infantil, que ocorre em várias partes do mundo. Segundo o órgão, milhões de crianças e jovens são obrigadas anualmente a começar uma vida matrimonial contra sua vontade própria e muito antes de estarem preparadas. A informação é da ONU News.

Para conscientizar as pessoas sobre o assunto, o Unfpa divulgou uma lista com cinco fatos sobre o casamento infantil. O primeiro é que o problema é comum em vários lugares. Especialmente em países da África, que tem as taxas mais altas: quatro entre 10 meninas se casam antes dos 18 anos. No mundo todo. milhões de jovens adolescentes do sexo feminino e meninas foram obrigadas a casar antes dos 18 anos. A pobreza é um dos fatores que leva à prática.

O segundo fato é que os meninos também não estão livres do risco. Uma pesquisa do Unfpa em 82 países de rendas baixa e média mostra que um entre 25 meninos se casou antes dos 18 anos.

Em terceiro lugar vem a informação de que apesar do casamento infantil ser praticamente banido no mundo todo, uma prática proibida por acordos universais, incluindo a Convenção sobre os Direitos da Criança, alguns países permitem o casamento de menores de idade com o consentimento dos pais, como o Malauí.

O outro fato é a ligação entre casamento e gravidez precoce. Nos países em desenvolvimento, nove entre 10 adolescentes que têm filhos já estão casadas. Segundo o Unfpa, a gravidez na adolescência causa riscos à saúde. E no mundo todo as complicações durante a gestação ou na hora do parto são a principal causa de morte entre adolescentes.

O quinto ponto destacado tem a ver com prevenção: segundo o Unfpa, “muitas mudanças são necessárias para acabar com o casamento infantil, incluindo modificações de leis e mais igualdade de gênero”. O órgão destaca ainda que é essencial empoderar os jovens, o que pode ser feito através  da disseminação de informações sobre saúde sexual e reprodutiva e sobre direitos humanos. Segundo o Fundo de População, quando jovens conhecem seus direitos, eles podem se defender da prática e até tentar convencer suas famílias a cancelar os casamentos arranjados.

Edição: Augusto Queiroz

FONTE: Agência Brasil

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
A responsabilidade pelo comentário é totalmente do respectivo autor. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos serão removidos automaticamente. Achou um comentário ofensivo? Clique em "denunciar".

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.