"Faltou vontade política para rescindir o contrato e é muito simples" afirma Frechiani na CPI da COPASA

Em 2008, na gestão de Antônio do Valle, ele ocupava a Secretaria de Administração.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investiga eventuais irregularidades na prestação de serviços pela COPASA, realizou uma nova oitiva na tarde desta terça-feira (20). Francisco Carlos Frechiani, ex-vereador e Secretário de Administração na gestão de Antônio do Valle (2005-2008) foi ouvido no plenário. Em depoimento, ele disse que não participou das negociações com a COPASA em 2008.

Questionado sobre a legalidade, ele caracterizou como um contrato possível haja vista que ele seria automaticamente renovado, no caso da água. Na sequência ele falou sobre uma possível quebra: “Faltou vontade política de todos os prefeitos que passaram, inclusive deste, em rescindir o contrato. É muito simples rescindir, mas lógico que tem interesses, o estado não quer que isso aconteça”.

A respeito da falta de licitação, Carlos Frechiani disse que a legislação, na época, permitia já que a COPASA foi criada anteriormente a lei das licitações e é uma empresa de capital misto, com participação do governo estadual.

Sobre a possível implantação de uma autarquia (DMAE), Frechiani afirmou que o município não tem condições de assumir imediatamente o serviço de tratamento de água e de esgoto. Segundo ele, seria necessário mais de dois anos de preparação.

Sobre a judicialização da causa, Francisco Carlos Frechiani afirmou que o contrato é legal, já que o próprio judiciário já entendeu isso em duas ações, uma do Ministério Público e outra Popular.

Frechiani ressaltou que o município tem que fiscalizar e punir a COPASA por eventuais irregularidades, como serviços mal executados. Citou que até hoje nenhuma multa foi aplicada contra a companhia em Patos de Minas.

Assista a íntegra:

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

2 Comentários
O mais novo
Mais antigo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Luisinho Amarante
Luisinho Amarante
21/07/2021 10:39

Engraçado, ele mesmo, na ocasião das eleições municipais, afirmou categoricamente que não podia ser cancelado o contrato com a Copasa. Agora na CPI já ficou fácil demais, é só caso de “vontade política”. Fala sério com esses político de Patos, a conveniência é o que os guia.

Perito
Perito
20/07/2021 14:27

350 mi não é nada pra ele, pro povo é muito. Caímos nas garras da Copasa, essa que é a verdade, graças aos nossos ex-prefeitos estamos com uma bomba nas nossas mãos pronta pra explodir.

A responsabilidade pelo comentário é totalmente de seu respectivo autor. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos serão removidos automaticamente. Achou um comentário ofensivo? Clique em "denunciar".

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.