Flexibilização de doação de sangue por homossexuais começa a valer em Patos de Minas

Mudança vale para todo o estado de Minas Gerais.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O coordenador do Hemominas de Patos de Minas, Dr. Alfredo Dixine, esclareceu em entrevista ao Triângulo Notícias que já está valendo em Minas Gerais o entendimento de inconstitucionalidade do STF. Por maioria de votos (7×4) o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) considerou inconstitucionais dispositivos de normas do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que excluíam do rol de habilitados para doação de sangue os “homens que tiveram relações sexuais com outros homens e/ou as parceiras sexuais destes nos 12 meses antecedentes”.

Na semana passada o Hemominas autorizou oficialmente suas unidades, em todo o estado, a permitir a doação de sangue por homossexuais independente do prazo da última relação sexual homoafetiva. Segundo o Dr. Alfredo Dixine, é necessário atenção quanto ao número de parceiros do candidato a doação.

- Continua depois da publicidade -

Não era proibido a doação, não era vedado a doação, a indivíduos homossexuais masculinos que tivesse relação com outros homens, apenas a orientação que se seguia antes era uma abstinência com relação a relação, sendo que esse período era um tanto quanto dilatado que era em torno de 12 meses. Agora, com a decisão do STF houve uma adequação disso, a rede Hemominas já fez a adequação com relação a isso, veio o comunicado para nós na semana passada, então agora já não há limitação com relação a isso de tempo para que essas pessoas possam fazer a doação […]. Mas com relação a número de parceiros é que passa a ter uma necessidade de atenção maior agora, mas a limitação anterior caiu por terra.

https://facebook.com/triangulonoticias/videos/781901302345050/

 

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -