Febre Maculosa: Duas pessoas já morreram em MG

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
febre-maculosa
Doença é transmitida pelo carrapato-estrela
Foto: Divulgação

A Febre Maculosa é a nova preocupação dos mineiros. Em meio a uma epidemia de dengue, o estado registrou duas mortes pela doença.

Os dois óbitos aconteceram em Contagem e foram confirmados pelos órgãos de saúde. Outras duas mortes estão sendo investigadas e 21 pessoas são tratadas com sintomas da Febre Maculosa.

A doença é transmitida pelo carrapato-estrela que usa animais, como capivaras e cavalos, como hospedeiros. A prefeitura começou a recolher os animais de rua como forma de evitar a contaminação dos humanos.

O surgimento dos casos da doença podem estar relacionados com as capivaras da Lagoa da Pampulha em Belo Horizonte. Uma das teorias apontam que esses animais estariam com o carrapato e chegaram até Contagem por meio de um córrego.

Sobre a Febre Maculosa

Febre maculosa é uma doença incomum causada pela bactéria Rickettsia rickettsii e transmitida pela picada de carrapatos ou fezes de piolhos. No Brasil, a maior parte dos casos é encontrada na região sudeste e transmitidas por Amblyommas (carrapatos amarelos).

A transmissão da Febre Maculosa é por meio da picada do carrapato infectado pela bactéria causadora da doença. Os carrapatos permanecem infectados durante toda a vida, em geral de 18 a 36 meses.

A Febre Maculosa pode ser muito difícil de diagnosticar em seus estágios iniciais.

Os sintomas iniciais não são específicos e podem assemelhar-se a uma variedade de outras doenças:

  • febre
  • náusea
  • vômitos
  • dor de cabeça severa
  • dores musculares
  • falta de apetite

Já com a evolução, os sintomas se tornam mais específicos e podem incluir:

  • exantema petequial (manchas por todo o corpo, inclusive na palma da mão e planta do pé)
  • dor abdominal
  • dores articulares
  • diarreia

Como prevenir

Atualmente não existe nenhuma vacina eficaz contra a Febre Maculosa. É possível adotar algumas medidas para prevenir a doença.

  • Use roupas claras. O carrapato é escuro e isso facilitará a identificação.
  • Use calças, botas e blusas com mangas compridas ao caminhar em áreas arborizadas e gramadas.
  • Evite andar em locais com grama ou vegetação alta.
  • Use repelentes de insetos: atualmente já existem repelentes contra carrapatos no mercado.
  • Verifique se você e seus animais de estimação estão com carrapatos. Após três horas de exposição a áreas de risco é preciso verificar se há algum carrapato no corpo. Após esse período, o inseto já terá transmitido a bactéria para a pessoa.
  • Remova o carrapato com uma pinça: pegue com cuidado o carrapato. Não aperte ou esmague o carrapato, puxe com cuidado e firmeza. Depois de remover o carrapato inteiro, lave a área da mordida com álcool ou sabão e água.

Quanto mais rápido uma pessoa retirar os carrapatos de seu corpo, menor será o risco de contrair a doença. Após a utilização, coloque todas as peças de roupas em água fervente para a retirada dos insetos.

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS