Expocafé 2018 termina com expectativa de R$ 200 milhões em negócios

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A Expocafé 2018 encerrou-se nesta sexta-feira (18/5), no Campo Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), em Três Pontas, com um saldo positivo para organizadores e expositores. Setenta por cento dos termos de intenção para a próxima edição já foram renovados por escrito.

A Expocafé é realizada pelo Governo de Minas Gerais e organizada pela Epamig. Nesta edição o evento contou com 160 empresas expositoras e atraiu um público de 12 mil participantes. A expectativa, de acordo com os próprios expositores, é de que o volume de negócios gerados e prospectados supere os R$ 200 milhões.

- Continua depois da publicidade -

“Em 2019, nosso desafio será redesenhar o mapa da feira para atender aos expositores que desejam expandir seus estandes”, conta o coordenador de Negócios da Feira, Antônio Nunes.

“Nossa intenção é aumentar a área do nosso estande, que foi muito procurado pelo público. Nosso trabalho aqui na feira é fazer a demonstração de equipamentos e tirar dúvidas dos clientes. Trabalhamos com bicos de pulverização e os produtores têm muitas dúvidas. Nosso estande foi bastante visitado, superando as nossas expectativas”, avalia o expositor Maicon Mendes.

Segundo Mendes, a infraestrutura da feira melhorou muito, principalmente após o asfaltamento na área do evento.

Os expositores novatos também ficaram satisfeitos com os negócios e contatos gerados durante o evento. “Notamos que eles ficaram surpresos com o perfil do público da Expocafé, que é prioritariamente consumidor”, comenta Antônio Nunes.

 

Algumas empresas participaram pela primeira vez do evento (Crédito: Kelly Brito)

É por esse motivo que uma empresa japonesa, que desenvolve equipamentos para beneficiamento de grãos, quer voltar à feira em 2019. Expondo pela primeira vez, o analista de marketing Lau Ramos, que veio da filial, em Santa Catarina, garante que os contatos estabelecidos foram o grande negócio.

“Os participantes da Semana Internacional do Café (SIC) nos indicaram a feira como um ótimo ambiente para chegar até o cafeicultor e pudemos comprovar isso. Foi uma oportunidade para apresentar a marca e a tecnologia. Queremos retornar ano que vem”, garante Ramos.

Outra característica da Expocafé reforçada nesta edição é o potencial para a transferência de tecnologias e troca de experiências entre a área técnica e os produtores.

Durante os três dias de feira foram realizadas as dinâmicas de máquinas e a atendimentos técnicos nos estandes da Epamig, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG), Governo de Minas Gerais, Universidade Federal de Lavras, Cocatrel, dentre outros.

“O produtor vem à Expocafé em busca de inovações para a atividade e de alternativas para a redução de custos e para o aumento da qualidade do produto final. O interesse deles vai além da compra; é um público que valoriza a troca de experiências e o acesso às informações”, analisa o coordenador técnico da feira, César Botelho.

<

p style=”text-align: right;”>FONTE: Agência Minas

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -