Exames não identificam sinais de estupro em menor de 6 anos

O caso aconteceu nesta semana (24/10) em Monte Carmelo. Na sexta-feira (26), a criança foi submetida a um exame em Patrocínio.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Na última quarta-feira (24/10/18) a reportagem do Triângulo Notícias foi informada através da Polícia Militar de uma ocorrência de estupro de vulnerável na cidade de Monte Carmelo. Após apurar, junto a corporação, publicamos uma matéria referente ao caso, onde foi expresso as informações do Registro de Ocorrência. 

Após a publicação fomos surpreendidos por comentários e publicações de terceiros em redes sociais na qual apontavam a suposta identidade do suspeito. Em nossa matéria não repassamos qualquer margem para identificação, já que o caso ainda está em apuração pelos órgãos competentes, Conselho Tutelar e Polícia Judiciária do Estado de Minas Gerais (PC/MG). 

- Continua depois da publicidade -

Confira abaixo a evolução das apurações até o início da manhã da última sexta-feira (26/10). 

24/10 – Matéria referente a ocorrência de ‘estupro de vulnerável’ é publicada. Todas as informações estavam contidas no B.O (Boletim de Ocorrência). 

Essa é a ementa da ocorrência divulgada pela PM. Ressaltamos que o termo (autor) é utilizado nos registros da corporação, porém o tratamento, de acordo com a constituição, é suspeito, levando em conta a presunção de inocência.

Ainda na quarta (24) os familiares do suspeito enviam uma nota para nossa redação onde relatam que um exame feito por um pediatra não detectou nenhum sinal de abuso. 

Na manhã de 25/10 nossa redação entrou em contato com o Conselho Tutelar de Monte Carmelo que confirmou a veracidade deste primeiro exame. Eles ainda enalteceram que um segundo, com apoio de um perito, seria realizado posteriormente. 

No mesmo dia contactamos a Polícia Civil, porém devido a ausência do delegado, por motivos de férias, não repassaram nenhum detalhe do andamento das investigações. 

Já na sexta-feira (26/10), nossa reportagem tomou conhecimento, por intermédio de familiares do suspeito, que um novo exame teria sido realizado na cidade de Patrocínio. O resultado do mesmo foi negativo, ou seja, não foi identificado sinais que apontassem para a ocorrência de estupro. 

No sábado (27/10), conseguimos contato com a mãe da criança que confirmou que o exame deu negativo. Questionada a respeito do sangramento, ela relatou que não disse nada a respeito disso, apesar do registro junto a Polícia Militar.

O testemunho da menor, assim como o da mãe, continuará sendo apurado até o fim das investigações. Não existe previsão para a conclusão deste processo, porém devido ao andamento dos fatos, tende a ser em curto prazo. 

Nos últimos dias os familiares do suspeito, e ele próprio, viveram momentos de extrema preocupação por sua integridade física. Os comentários e publicações em redes sociais que faziam uma ‘condenação prévia’ acabaram gerando um sentimento de ‘ânimos extremados’ ou seja, ameaças, inclusive de morte, foram proferidas contra o rapaz. Esse tipo de exposição é crime e pode ser encaixada como Fake News, já que não partiu de nenhuma fonte oficial. Nem os jornalistas da nossa equipe tiveram acesso a identidade do indivíduo, justamente, para resguardar seu direito legal. 

Outra questão que foi levantada pelos internautas, através de má interpretação, e que o rapaz estava foragido. Em nenhum momento a reportagem do Triângulo Notícias afirmou que ele estava fugindo da PM. 

As pessoas que comentaram e/ou postaram o nome e a foto do suposto suspeito estão sujeita as implicações previstas em lei. Os familiares informaram a nossa reportagem que tomarão as providências contra as pessoas que ameaçam o homem.

A criança envolvida em tal fato está sendo amparada pelo Conselho Tutelar de Monte Carmelo, inclusive com auxílio de psicólogos. 

O laudo escrito do exame será divulgado nos próximos dias. O Triângulo Notícias continuará a acompanhar os desdobramentos deste caso. 

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -