Escolas estaduais entregam apostilas para quem não tem acesso a internet

Os Planos de Estudos Tutorados (PETs) serão usados pelos alunos durante o isolamento social.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
As irmãs Kelly e Joice, alunas da Escola Estadual Manoel Pedro Silva, localizada na comunidade quilombola de Nova Matrona
Foto: Arquivo Pessoal

Os diretores da rede estadual de ensino conhecem bem cada um dos alunos de suas escolas. Sabem a realidade em que vivem e, muitas vezes, as dificuldades que enfrentam. Por isso que a Secretaria de Estado de Educação (SEE) solicitou aos gestores escolares que analisassem e definissem as melhores formas de distribuição dos Planos de Estudos Tutorados (PETs) para estudantes que não têm acesso aos meios virtuais.

O PET é a principal ferramenta para as atividades remotas dos alunos da rede pública estadual neste momento em que as aulas presenciais estão suspensas por tempo indeterminado, como medida de prevenção e enfrentamento à covid-19. É por meio dele que será feita a avaliação diagnóstica no retorno das atividades presenciais na rede estadual de ensino. Por isso, é importante que ele chegue a todos os alunos.

- Continua depois da publicidade -

Para aqueles estudantes que não têm acesso ao serviço de celular ou à internet, os diretores das escolas viabilizaram a melhor maneira, de acordo com a realidade da sua comunidade escolar, para que a entrega do material fosse feita na residência do aluno. Dessa maneira, estudantes e pais/responsáveis não precisam sair de casa para receber o material, mantendo assim a recomendação da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG).

Na Escola Estadual Manoel Pedro Silva, localizada na comunidade quilombola de Nova Matrona, no município de Salinas, muitos dos estudantes precisaram receber o PET impresso. O diretor da escola Luiz Carlos Rocha conta como foi a entrega.

“Foi uma alegria grande quando cheguei com os PETs. Percebi que os alunos estão bem empenhados. Expliquei para eles como o material deve ser utilizado e que, no final do mês, irei recolhê-lo para entregar aos professores”. A escola também fez parceria com a prefeitura para a distribuição do material.

No distrito de Esteios, no município de Luz, a diretora Escola Estadual Capitão Alexandre Du, Alexcia Oliveira Basílio, diz que os alunos e os pais/responsáveis ficaram animados com a entrega do PET. “Mantenho contato com eles por telefone e já tinha avisado que o material ia chegar. Eles estão com pensamento otimista”, afirma.

Já em Caratinga, o diretor Vagner Aquino Zeferino conta que 70% de seus alunos são da zona rural, mas que muitos deles têm celulares e internet e que conseguiram acesso ao PET pelo aplicativo Conexão Escola. O app tem a navegação custeada pelo Governo de Minas para os usuários que são alunos e professores da rede, sendo possível fazer o download gratuitamente. Para os estudantes que necessitavam, a entrega foi feita com sucesso.

“Usei o carro oficial da Superintendência Regional de Ensino para chegar aos alunos que moram em regiões mais afastadas. A entrega foi muito boa porque tive a oportunidade de conversar com pais e alunos e explicar a dinâmica das atividades”, afirma o diretor da escola.

Para que as escolas possam fazer as impressões dos PETs para os alunos que necessitam do material impresso, a SEE autorizou a utilização da verba de manutenção e custeio.

Organização

O sucesso na entrega dos PETs é resultado de organização feita anteriormente. Assim que os planos foram disponibilizados no site estudedeemcasa.educacao.mg.gov.br, os diretores já planejavam como iam fazer a distribuição.

Na Escola Estadual Elpídio Fonseca, no município de São Francisco, no Norte de Minas, o diretor Maurilei Neves de Araújo já sabia desde o início que muitos de seus alunos precisariam receber o material impresso. “Nossos estudantes iniciam o ensino fundamental e concluem o ensino médio aqui. Então, nós conhecemos bem a realidade de cada um e a maioria é da zona rural. Tenho uma situação aqui, por exemplo, que a mãe tem nove filhos estudando na escola e sei que lá os PETs deverão ser impressos”, conta Maurilei.

Em Uberaba, no Triângulo Mineiro, a diretora da Escola Estadual Professor Chaves, Ariana de Oliveira Souto, conta que, quando estava se planejando, teve um retorno muito positivo dos alunos que estavam infrequentes nas aulas. O que a deixou feliz “foi o fato de alunos que não estavam conseguindo frequentar as aulas, por diferentes motivos, ficarem sabendo das aulas remotas e pedirem para voltar para a escola e receber as atividades”, conta.

Planos de Estudos Tutorados

O PET consiste em apostilas mensais de orientação de estudo e atividades por ano de escolaridade (1º ao 9º ano do ensino fundamental e 1º ao 3º ano do ensino médio). Os conteúdos foram baseados no Currículo Referência de Minas Gerais (CRMG) e na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O material foi elaborado por professores da rede estadual de ensino e contou com a colaboração de educadores das redes municipais e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação Seccional Minas Gerais (Undime-MG).

Os PETs podem ser acessados pelo site estudeemcasa.educacao.mg.gov.br e também estão disponíveis no aplicativo Conexão Escola.

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -