Entenda a diferença entre limpeza e desinfecção de ambientes

Imprescindível no combate à proliferação de vírus (incluindo o novo coronavírus), fungos, bactérias e ácaros, a sanitização de ambientes impede o contágio de diversas doenças e infecções, e complementa a limpeza tradicional, garantindo um local biologicamente seguro.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Foto: Divulgação

A atual situação do mundo diante da pandemia da Covid-19, colocou em evidência discussões sobre a importância da limpeza e da sanitização ou desinfecção de ambientes. Engana-se quem pensa que limpeza é a mesma coisa que sanitização. Quando se trata de eliminar doenças, as duas são extremamente importantes, porém, cada uma tem a sua função no processo de deixar um local livre de agentes causadores de doenças.

A limpeza é basicamente o processo de remoção da sujeira. Ela é a primeira etapa para higienizar um ambiente e eliminar os possíveis germes. É preciso realizar a limpeza em todos os tipos de ambientes, seja os ambientes domésticos ou locais de trabalho. É um processo mais simples, normalmente feito com água e detergente. Ela deve ser feita com certa frequência, tanto nos pisos e paredes quanto nos móveis e demais utensílios. De forma geral, a limpeza constante é suficiente para eliminar boa parte dos vírus e bactérias mais simples. Porém, principalmente em lugares com maior frequência e circulação de pessoas, só a limpeza não garante a eliminação desses agentes. É aí que entra o processo de sanitização ou desinfecção.

O serviço de sanitização ajuda a combater a proliferação de vírus (incluindo o novo coronavírus), fungos, bactérias e ácaros, impedindo o contágio de diversas doenças e infecções, e complementa a limpeza tradicional, garantindo um local biologicamente seguro. A eficácia do procedimento também se estende para pessoas com alergias e problemas respiratórios, que podem se beneficiar desse serviço, pois a limpeza profunda diminui o quadro de crises alérgicas constantes.

A desinfecção é um procedimento que consegue acabar com até 99% dos germes das superfícies e ambientes. Além dos pisos e paredes, devem-se desinfetar as pias, toalhas, vasos sanitários e demais utensílios e mobília que sejam utilizados com frequência. A desinfecção exige equipamentos e produtos normalmente utilizado em limpeza profissional. Portanto, o ideal é contar com uma empresa especializada.

Manter um ambiente saudável do ponto de vista microbiológico sempre foi essencial, tanto é que a Lei Nº 15.389, de 2005, prevê a obrigatoriedade do processo de sanitização para locais com grande circulação de pessoas. A justificativa desta lei, é que as doenças infecciosas são uns dos problemas mais graves da saúde pública, e somente a higienização adequada pode auxiliar na redução de doenças. Não à toa, a lei se faz ainda mais importante em tempos como os que estamos vivendo.

“A desinfecção feita corretamente é uma das formas mais eficientes de proteger as pessoas, tendo em vista que o contágio da Covid-19 se dá, justamente, pelo toque e contato com superfícies contaminadas”, explica José Roberto Campanelli, fundador e diretor da Mary Help, que acredita que este é um serviço que veio para ficar e será muito demandado já que agora, as pessoas estão mais conscientes de sua importância.

serviço de Sanitização de Ambientes oferecido pela Mary Help – rede de franquias pioneira no Brasil para seleção e intermediação de diaristas e mensalistas, segue as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e complementa a limpeza convencional que a rede já oferece desde 2011, através do agenciamento de equipes de profissionais diaristas.

A aplicação do serviço da Mary Help é feita por meio da nebulização de sanitizantes de uso hospitalar (quaternários de amônia de 5ª geração) aprovados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), com foco em interruptores, maçanetas, torneiras, válvulas de descarga e demais pontos e superfícies que, por serem tocados frequentemente, são responsáveis pela propagação de doenças.

Através da nebulização do desinfetante em forma de névoa que se deposita nos objetos e superfícies, atingindo quase tudo, mesmo locais que sejam de difícil acesso.  No uso doméstico, esse processo se mostra extremamente eficiente para alcançar lugares de difícil acesso nas faxinas comuns, resultando em uma limpeza profunda e completa.  A névoa que fica no ar e garante a eliminação de 99,9% dos agentes patogênicos é dissipada dentro de uma a três horas. Embora os produtos não sejam tóxicos, recomenda-se, portanto, que somente após esse período seja liberada a reentrada de pessoas e animais domésticos nos locais tratados.

Bactérias e vírus ficam presentes por horas nas superfícies

Bactérias e vírus podem se manter ativos, em determinadas situações, por horas e até dias conforme estudo divulgado pela Universidade de Ohio, nos Estados Unidos.  O serviço de sanitização se torna ainda mais necessário atualmente para evitar que as pessoas fiquem expostas ao vírus SARS COV2 da Covid-19, pois as pesquisas já apontaram uma duração prolongada deste em vários tipos de materiais: 3h em partículas aerossolizadas ou poeiras, 4h em cobre, 24h em papelão e até 72h em aço inoxidável e plástico.

“A desinfecção dos ambientes é importantíssima, mas não dispensa que as pessoas continuem mantendo hábitos de higiene saudáveis, além das precauções de manter distanciamento social, uso de máscaras, evitar tocar os olhos, nariz e boca, usar álcool em gel, manter roupas limpas, higienizar telefones celulares e computadores, entre outras recomendações.  Estas práticas são fundamentais até que sejam desenvolvidas vacinas para prevenir o contágio da doença”, relata o fundador da Mary Help.

A frequência na realização do serviço de sanitização irá depender de vários fatores como número de pessoas que transitam no local, grau de contaminação em função das atividades que são ali desenvolvidas e do nível de interesse das pessoas em manter os locais saudáveis. Ambientes comerciais como clínicas, escritórios e lojas, com vários usuários, devem ser limpos regularmente em função do número maior de usuários. No âmbito doméstico, mesmo sendo considerado um lugar mais seguro, a desinfecção com nebulização atinge locais e objetos não acessíveis durante a faxina comum.

A sanitização pode custar a partir de R$ 350,00 dependendo do tamanho do local e para lugares muito grandes é necessário a realização de orçamento específico.  A aplicação para um local em torno de 200 metros quadrados dura em torno de duas horas, sendo realizada por uma ou duas pessoas devidamente treinadas e protegidas por EPIs (Equipamentos de Proteção Individual).

O serviço já está sendo oferecido por diversas unidades da Mary Help no Brasil. Acesse http://www.maryhelp.com.br/home para encontrar a unidade mais próxima!

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS