Direitos humanos promove audiência pública para avaliar continuidade da comissão de anistia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Direitos humanos promove audiência pública para avaliar continuidade da comissão de anistia

- Continua depois da publicidade -
Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara com a participação da Subcomissão Parlamentar Memória, Verdade e Justiça promove audiência pública nesta terça-feira (28) para avaliar a atual situação da Comissão de Anistia, em especial suas metas e a continuidade de suas ações.

O evento marca ainda o 39º aniversário da 1ª Lei da Anistia (Lei 6.683/79), comemorado em 29 de agosto. O requerimento para o debate é do deputado Luiz Couto (PT-PB). Ele destaca que a Comissão de Anistia é fruto da conquista da sociedade brasileira no âmbito do processo de democratização e foi criada com a finalidade de reparar as perseguições políticas e violações de direitos humanos vividas nos anos de ditadura civil-militar (1964-1985).

“Movimentos e organizações da sociedade civil que buscam assegurar o funcionamento regular da Comissão de Anistia e preservar a memória da resistência à ditadura solicitaram a referida audiência pública”, informou o deputado.

Foram convidados para a audiência:

– procurador federal, integrante do Grupo de Trabalho Memória e Verdade da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão do MPF e Conselheiro da Comissão sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, Ivan Cláudio Marx;

– presidente da Associação de Militares Anistiados (AMPLA), Capitão Wilson Silva;

– advogada do movimento Revolta do Perdido, em prol dos camponeses do Rio Araguaia, Irene Gomes;

– secretário executivo do Ministério da Justiça, Gílson Libório de Oliveira Mendes; entre outros

A audiência ocorre nesta terça às 14 horas no plenário 2.

Fonte: Câmara dos Deputados

 

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -