Dia dos Avós: Maria Antônia, quase nove décadas de vida, exemplo de alegria e determinação

A coromandelense Maria Antônia dos Santos contou boas histórias para a equipe do Triângulo Notícias.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Maria Antônia têm 88 anos é e muito carismática e educada.
Foto: Wagner Honorato (TN)

26 de julho – Dia dos Avós. O surgimento e criação dessa data foi em homenagem aos avós de Jesus Cristo, Joaquim e Ana, cujas pequenas informações aparecem no evangelho de Tiago. Registros históricos mencionam que em 1889, na cidade de Jerusalém, foram encontrados os túmulos onde Joaquim e Ana foram sepultados.

Sant’Ana é padroeira de Coromandel, cidade localizada no Alto Paranaíba Mineiro, com aproximadamente 30 mil habitantes.

- Continua depois da publicidade -

Por falar em avós, o TN irá mostrar um pouco das experiências e vivências de uma vovó de 88 anos, a coromandelense Maria Antônia dos Santos. Ela é moradora de uma localidade rural de Coromandel – Pereiras, onde vive com um dos seus filhos.

Desde criança, teve uma criação muito rígida dos pais e trabalhou em diversos serviços no campo. Casou-se muito nova, teve três filhos, e mesmo assim, continuou com a mesma rotina pesada dos afazeres na área rural.  Hoje, a aposentada é viúva, tem seis netos e bisnetos.

Maria Antônia vive em uma casa simples, mesmo com problemas de saúde decorrentes da idade, ela faz todas as tarefas diárias, lava e passa as roupas, limpa os cômodos, e ainda, prepara a comida. Um exemplo de determinação e superação diante dos desafios que encontra no caminho.

Maria comenta sobre muitos temas para a equipe do TN. “Minha família é meu maior bem. É meu tesouro. Tenho muito carinho e amor por todos. Família é dádiva de Deus, infelizmente, no ‘mundo de hoje’, as coisas estão mudando e muito”, expressa a aposentada.

Segundo a vovó, o segredo para chegar aos quase 90 anos é a alegria marcante no rosto mesmo diante dos desafios diários, a gratidão às pessoas que passaram e ainda passam pela sua vida, o amor no coração e a fé depositada a Deus.

“O Senhor (Deus) me ama demais, sinto na mente, nem mereço o que Ele me fornece no dia a dia. Sou privilegiada em está vivendo e aproveitando os que amo, familiares e amigos”, evidencia Dona Maria.

Ela conta que sua ‘maior saudade’ é dos amigos que já ‘perdeu’ nos últimos anos: “queria vê-los como antes, é muito triste não poder conversar e abraçá-los (emocionada). Na verdade, a morte não existe, um dia, um dia irei reencontrá-los e iremos ‘matar’ a saudade. Colocar os causos em dia. Quando ‘olho’ para o passado, começo a chorar. Tive muitos e muitos amigos que estão guardados no meu coração”.

De acordo com dona Maria, muitos deles (amigos) ‘passaram’ em sua vida e ‘deixaram’ ensinamentos para as próximas gerações. “Muitos deles não estão mais no meu convívio, mas o legado deles nada irá apagar. Tenho muita afinidade e amizade verdadeira por muitas pessoas, uma delas, sem dúvida, é a Terezinha (mais de 70 anos de convivência).

Maria Antônia (88 anos) e Terezinha Silva (80 anos) – amizade há mais de setenta anos!
Foto: Wagner Honorato (Triângulo Notícias)

A vovó recomenda às crianças e aos jovens que respeitem seus pais, que ame todos, que possam abraçá-los, que peçam desculpa pelos erros. “Fico chateada pela geração atual. A maioria não tem respeito pelos mais velhos. Os valores estão acabando. Queria que as coisas pudessem mudar. As pessoas se respeitarem e se amarem mais”, expressa emocionada.

Com seus 88 anos, Maria Antônia tem muitos sonhos, um deles, é notar união, amor e paz entre os povos no mundo. “Já vivi muito, sou grata a Deus, mas não perco a esperança de dias melhores. Meu grande sonho, ainda, é que a humanidade tivesse mais amor. O amor move tudo. O amor é o elemento de mudança” (emocionada).

Sem nenhuma vaidade, Maria, com seus cabelos brancos, mostra muita simplicidade, sabedoria e humildade em suas palavras: “a escola da vida (meu filho) me ensinou e muito a conviver com meus semelhantes. Aprendi a respeitar todas as pessoas, independente de Religião, renda ou vestimenta. Todos nós ‘estamos no mesmo barco’ e merecemos respeito”.

Uma vez no mês, Maria Antônia, com auxílio de um dos filhos, recebe a aposentadoria na cidade e aproveita para visitar os parentes e amigos. Segundo ela, o que ganha, compra os alimentos e os remédios que consome.

“A escola tem função para instruir as crianças (formar cidadãos) e a família deve educar, passar valores aos filhos. Não podemos deixar inverter essa ideia”, argumenta a aposentada.

De acordo com Maria Antônia, a vida deve ser valorizada em todos os seus segmentos. Para ela, a vida, mesmo diante dos problemas que assolam as pessoas, a esperança deve reinar nos corações e a fé deve ‘alimentar’ a mente humana.

Ainda segundo a vovó, as pessoas não devem ‘perder’ tempo, todos devem valorizar as oportunidades de crescimento que se depararem pelo caminho: “tudo passa rápido, então, faça acontecer hoje, não deixe para amanhã. O medo não pode ‘matar’ sonhos. Lute para ser gente melhor, gente do bem”.

“Sou muito grata a Deus pela oportunidade em poder mostrar o pouco que sei a você, meu filho (repórter), obrigada pela oportunidade de contar sobre minhas ideias. Desejo um dia maravilhoso aos avós de Coromandel” (emocionada), finaliza.

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -