Destinos nacionais são opções de turismo na pandemia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Serra do Cipó
Cachoeira grande – Serra do Cipó, Minas Gerais
Foto: Pixabay

Após nove meses de pandemia, locomoção terrestre restrita mundo a fora e cotação do dólar turismo disparada, viagens ao exterior não são opções viáveis para a maioria das pessoas. Embora os órgãos de saúde ainda não orientem a realização de viagens turísticas, há muitos destinos nacionais reabrindo.

De acordo com informações do Ministério do Turismo, 10 estados brasileiros já contam com o selo Safe Travels, do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC). São eles: Alagoas, Ceará, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo.

O critério para o recebimento do selo é a adoção de protocolos globais de saúde e higiene necessários ao controle da pandemia. Essas medidas seguem as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA e são atualizadas sempre que novos dados sobre a Covid-19 são disponibilizados.

O governo brasileiro também está concentrando esforços em incentivar o turismo nacional. Uma das medidas tomadas com esse objetivo é a criação do Selo Turismo Responsável, que conta com aproximadamente 24 mil adesões. Recebem o selo agências de turismo, meios de hospedagem, empresas de transporte, guias turísticos, bares, cafeterias, restaurantes e similares que cumpram os protocolos de segurança necessários para o momento.

Os quatro estados que lideram o ranking de adesões do selo brasileiro são São Paulo (4.708), Rio de Janeiro (3.552), Minas Gerais (2.116) e Bahia (1.810). Todos eles contam com atrações turísticas para serem aproveitadas no período de férias.

São Paulo

O estado de São Paulo acaba de regredir para a fase amarela do plano de flexibilização e cancelou os principais eventos conhecidos por atrair turistas: Fórmula 1, Réveillon e Carnaval. No entanto, as atividades comerciais seguem em funcionamento, desde que respeitadas as regras.

Shoppings, galerias, comércio e serviços devem limitar ocupação máxima a 40%. O horário de funcionamento desses estabelecimentos está reduzido a, no máximo, 10 horas diárias. Bares e restaurantes segue as mesmas regras, acrescidas da determinação de funcionamento até as 22h.

Eventos, convenções e atividades devem ter capacidade máxima de 40%, desde que sejam realizados com hora e assentos marcados e controle de acesso. Está proibida a realização de eventos em que os participantes fiquem em pé.

Embora o Plano São Paulo permita que cinema, teatros e museus sigam funcionando com restrições, a Prefeitura da capital determinou que a reabertura dos centros culturais só será liberada quando a cidade retornar para a fase verde.

Campos do Jordão, conhecido destino turístico do estado, segue a determinação do governo e libera o funcionamento de casas de espetáculo, teatro, equipamentos multifuncionais, biblioteca, museus, galerias e similares. No entanto, eventos como festas, baladas, torcidas em campo de futebol e ginásios e shows com público em pé seguem proibidos.

No litoral norte, as praias e os estabelecimentos também deverão seguir as determinações do estado.

Rio de Janeiro

A Secretaria de Estado de Turismo lançou o site Turismo Consciente em que os turistas podem ter acesso ao funcionamento dos serviços turísticos disponibilizados pelo município. Na capital, bares e restaurantes estão funcionando normalmente. As praias estão liberadas para esportes individuais e banho de mar, mas banho de sol não é permitido. Há a possibilidade de reservar uma faixa de areia por meio de um aplicativo disponibilizado pela Prefeitura.

Os principais pontos turísticos como Pão de Açúcar e Cristo Redentor estão abertos desde agosto. Em Arraial do Cabo e Cabo Frio há barreiras sanitárias na entrada das cidades e não é permitido passar o dia sem pernoite. As hospedagens operam com 50% da capacidade reduzida.

Minas Gerais

Embora parte do estado tenha regredido para a fase amarela do Plano Minas Consciente, alguns dos principais centros turísticos permanecem na verde, portanto, seguem em funcionamento.

Outro Preto reabriu o turismo com limitações de 50% da capacidade em hospedagens, bares e restaurantes, além da necessidade de distanciamento social, obrigatoriedade de uso de máscara e distribuição de álcool em gel.

Visitas ao interior de museus e igrejas seguem proibidas. Tiradentes também segue funcionando dentro das mesmas limitações.

Bahia

Alguns dos principais pontos turísticos do estado já estão reabertos assim como algumas praias. Em Salvador já é possível visitar o Mercado Modelo e shoppings. Bares e restaurantes podem operar até as 23h, desde que respeitando as medidas de segurança sanitária.

Morro de São Paulo e Boipeba seguem um plano de reabertura próprio que inclui ocupação máxima de 50%, permissão de acesso aos turistas com reserva confirmada em meios de hospedagens, ocupação de 70% dos transportes marítimos, uso de máscara em todos os ambientes e disponibilização do álcool em gel 70%.

Bares e restaurantes funcionam entre 9h e meia-noite, com capacidade máxima de 50% sem atrativos adicionais como shows ou caixas de música na calçada.

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
ATENÇÃO: Dê preferência em utilizar sua conta do Facebook ou Google para comentar. Comentários com cinco descutidas serão submetidos a moderação. Para denunciar um comentário, clique na bandeira vermelha.
Os comentários não refletem a opinião do portal. A responsabilidade dos comentários é integralmente de seus autores. O Patos Notícias se reserva ao direito de remover postagens que violem seus termos de uso ou as leis vigentes sem prévia notificação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.