Desde o reconhecimento, Patos de Minas registra 30 casamentos homoafetivos

A união estável entre pessoas do mesmo sexo foi reconhecida pelo STF em 2011. Já em 2013, o CNJ aprovou resolução que obrigou os cartórios a celebrar casamento.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Em maio/2021, completa-se dez anos do reconhecimento da união estável entre pessoas do mesmo sexo no Brasil. A decisão do Supremo Tribunal Federal, em 5 de maio de 2011, abriu caminho para a oficialização da relação homoafetiva, inclusive com os mesmos direitos e deveres dos casais heterossexuais.

Em 2013, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) normatizou a possibilidade de casamento entre pessoas do mesmo sexo, seja através da conversão da União Estável em casamento ou do casamento homoafetivo direto. Apesar do reconhecimento, o Brasil ainda não dispõe de uma lei que regulamente a união de um casal homoafetivo.

Segundo dados do Conselho Notarial do Brasil, entre 2011 e 2020, foram 21,6 mil uniões estáveis homoafetivas no país. Em Minas Gerais foram registrados 2.508 casais.

Em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, foram cinco uniões estáveis, sendo a primeira registrada em setembro de 2014 e a mais recente em março de 2021.

Os casamentos homoafetivos são mais numerosos, sendo que em oito anos foram quase 80 mil uniões no Brasil. Em Patos de Minas, entre agosto de 2017 e abril de 2021, foram 30 casamentos, segundo dados do Registro Civil Brasileiro.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
A responsabilidade pelo comentário é totalmente de seu respectivo autor. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos serão removidos automaticamente. Achou um comentário ofensivo? Clique em "denunciar".

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.