Deputados estaduais questionam retorno das aulas em MG

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Foto: Clarissa Barçante (Assembleia de Minas)

A decisão do Governo do Estado de permitir a retomada das aulas escolares presenciais a partir de 5 de outubro, em municípios de macrorregiões que se encontram na onda verde do plano Minas Consciente, foi uma das questões que mobilizaram os parlamentares em pronunciamentos realizados nesta quinta-feira (24/9/20), durante a Reunião Ordinária de Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

As deputadas Andréia de Jesus (Psol) e Leninha (PT), assim como o deputado Doutor Jean Freire (PT), criticaram a decisão do governo e cobraram maior cautela na retomada das atividades escolares.

Ainda estamos em um período de pandemia, estamos em um estado de calamidade”, afirmou Andréia de Jesus. Ela questionou diversas ações do Estado na área da educação, tais como a possibilidade de adoção, em 2021, de um modelo de “escolas charter” em algumas unidades, sem discutir adequadamente com a sociedade e com a Assembleia.

dotado nos Estados Unidos, o sistema de escolas charter permite a gestão privada em escolas públicas. Andréia de Jesus disse que o governo ainda não esclareceu devidamente a possibilidade de adoção desse modelo.

Para a deputada, antes de terceirizar suas obrigações ou estimular a competição entre as escolas, o governo deveria ampliar o acesso à internet entre os alunos. Ela relatou que, em um condomínio do município de Ribeirão das Neves (Região Metropolitana de Belo Horizonte), um grande número de crianças hoje se aglomeram para acompanhar as aulas on-line por meio de um único celular.

A deputada Leninha alertou que os diferentes momentos de volta às aulas nos diversos municípios de Minas Gerais podem também trazer complicações para o ano escolar, uma vez que as escolas estarão em total descompasso.

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS