Depressão e exercícios físicos: aliados para melhora da saúde

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

OMS alerta que cerca de 322 milhões de pessoas têm a doença e que a prática de exercícios ajuda a amenizar os sintomas 

Resultado de imagem para OMS
Foto: Divulgação
De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 322 milhões de pessoas no mundo têm depressão, um aumento de 18,4% de 2005 para 2015. Só no Brasil, esse número chega a 11,5 milhões de brasileiros, cerca de 5,8%. A doença, para alguns especialistas, já é considerada o “Mal do Século”, e alertam: a depressão será a doença que mais impactará pessoas até 2020, passando as doenças cardiovasculares.
Um dos fortes aliados para combater a doença são os exercícios físicos. “Quando praticamos atividades, liberamos várias substâncias em nosso organismo, como a endorfina, noradrenalina, adrenalina, serotonina e a dopamina. Essas substâncias têm influência direta no humor, na ansiedade, no sono e na alimentação, ou seja, não é recomendada a combinação com tantos remédios”, explica o professor da Companhia Athletica Curitiba, Roger Woellner. “A endorfina produzida pelo corpo age como um relaxante, que regula a percepção de dor e emoção, promovendo uma sensação de bem-estar e prazer. E é a liberação da substância que auxilia em casos de ansiedade e depressão”, comenta.
Quando o aluno chega até a academia, é preciso avaliar seu histórico e tratar individualmente, buscando, dessa forma, a melhor solução e a atividade mais indicada para seu caso. “Os exercícios mais recomendados, quando há casos de depressão e ansiedade, são as atividades aeróbicas e as anaeróbias. Nesses casos, as aulas coletivas também são uma alternativa interessante, pois, além dos benefícios em si, há possibilidade do aluno fazer novos amigos”, salienta.
Mas Roger Woellner pondera: antes de começar a praticar exercícios, é preciso procurar um médico para que ele analise qual o melhor tratamento para a doença. “Depois da liberação do médico e a vinda do aluno até a academia, o profissional de educação física deverá encontrar o melhor programa de treinamento para uma recuperação mais rápida. No caso de doenças como ansiedade e depressão, será extremamente importante a prática de exercícios físicos, pois, além de ter a possibilidade de diminuir a medicação, a pessoa estará sempre em contato com outras pessoas”, ressalta.
“Vivemos em uma época onde é extremamente comum as pessoas tomarem remédios por tudo. Mas é importante lembrar: várias doenças, como a obesidade, diabetes, hipertensão, ansiedade, depressão, osteopenia e tantas outras, podem ser tratadas com apenas 30 minutos diários de exercício físico”, comenta; e complementa: “É claro que em diversos casos é imprescindível que, além do exercício físico, a pessoa também necessite de medicamentos, mas, quanto menos remédios tomar, melhor será a qualidade de vida. Exercício físico é uma maneira excelente de ter melhoras consideráveis em quase todas as doenças conhecidas e os únicos efeitos colaterais de praticar exercício físico é que a pessoa vai ganhar músculo e perder gordura.”.
Muitas doenças podem ser amenizadas ou até curadas com a prática de exercícios físicos. “Cada doença tem sua particularidade e sempre se deve procurar um médico para que ele libere ou não o exercício físico. Mas uma coisa é certa: são inúmeras as doenças que podem ser melhoradas fazendo uma atividade”, comenta o professor Roger Woellner. De acordo com ele, na Companhia Athletica Curitiba, uma das mais comuns é a hipertensão. “A hipertensão nada mais é do que o indivíduo ter sua pressão arterial elevada, ou seja, a pressão sistólica igual ou maior que 140 mmHg e a pressão diastólica igual ou maior que 90 mmHg. Esse aumento da pressão ocorre devido a fatores genéticos, estresse, sedentarismo, entre outros, e o exercício físico é o grande aliado para a melhora na condição cardiovascular, que ajuda a diminuir os níveis de pressão sanguínea”, ensina.

Déborah Santos
Triângulo Notícias
25/04/2017

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -