Decreto estabelece diretrizes para o Observatório do Turismo de Minas Gerais

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A rede do Observatório do Turismo de Minas Gerais agora conta com um documento norteador, que regulamenta o funcionamento em todo o estado. O decreto nº 47.526, assinado pelo governador Fernando Pimentel, foi publicado no Diário Oficial do Estado. 

Apesar de já existir desde 2015, a rede só foi oficialmente reconhecida em 2017, por meio da Lei nº 22.765, que instituiu a Política Estadual de Turismo. De acordo com o novo decreto, a instância de pesquisa visa ao monitoramento em rede da atividade turística no estado, o incentivo à inovação, à inteligência de mercado e o fomento à pesquisa acadêmica em turismo.

- Continua depois da publicidade -

A Secretaria de Estado de Turismo (Setur-MG) é a coordenadora da rede, que é constituída por órgãos públicos, privados e instituições da sociedade civil. Todos colaboram com o desenvolvimento da atividade turística, a partir da realização periódica de estudos e pesquisas relacionados ao segmento no estado.

Desde 2017, colaboram com o observatório: a Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur); o Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG); Faculdades Promove; a Federação do Comércio, Bens, Serviços e Turismo de Minas Gerais (Fecomércio-MG); a Fundação João Pinheiro (FJP); e também o Instituto Estadual do Patrimonio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG).

Completam a lista: o Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG); as secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), de Cultura (SEC) e de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese); o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (Sebrae-MG), a Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) e as Universidades Federais de Juiz de Fora (UFJF), de Minas Gerais (UFMG), de Ouro Preto (Ufop), dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) e de Viçosa (UFV).

A partir do próximo ano, essas e outras instituições que pretendem integrar a rede no biênio 2019-2020 deverão formalizar seu pleito de participação junto ao Observatório.

“Estamos bem felizes com a publicação do decreto, pois a partir de agora mais instituições poderão participar efetivamente dessa iniciativa que monitora e nos apresenta como o turismo de Minas Gerais tem se desenvolvido nos últimos anos”, ressalta o secretário da Setur-MG, Paulo Almada.

Let’s block ads! (Why?)

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -