Das cinco escolas avaliadas em Rio Paranaíba, apenas uma não cumpre a meta do IDEB; confira os números

A melhor avaliada no índice foi a E.E. Professor José Luiz de Araujo que somou uma nota de (7,9).
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
E.E. Professor José Luiz de Araujo é uma das escolas brasileiras que mantêm a excelência em educação por vários anos consecutivos,
Foto: Reprodução (Rede Social/Facebook)

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) referente ao ano passado foi divulgado nesta semana pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Criado em 2007, o índice  reúne, em um só indicador, os resultados de dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: o fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações. Ele é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e das médias de desempenho nas avaliações do Inep, o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) – para as unidades da federação e para o país, e a Prova Brasil – para os municípios.

- Continua depois da publicidade -

Das escolas de Rio Paranaíba, apenas uma não conseguiu atingir a meta estipulada pelo MEC. A melhor colocada foi a E.E. Professor José Luiz de Araujo que somou uma nota de (7,9) bem acima da meta geral para o país de (6,0), esperada para o ano de 2022.

E.E. Professor José Luiz de Araujo 

A escola apresenta desde o ano de 2007 (data de criação do IDEB) um desempenho positivo. Ao longo dos últimos anos as notas evoluíram e no passado alcançaram (7,9), superando em 0,9 a meta estipulada pelo MEC.

A instituição atende alunos dos cinco primeiros anos do ensino fundamental e administrada pelo estado de Minas Gerais.

E.E. Dr. Adiron Gonçalves Boaventura

As três últimas notas da instituição se demostraram negativas levando como critério a meta estipulada pelo MEC. No ano passado o conceito foi de (5,9), sendo que o esperado seria (6,4), ou seja a instituição ficou com (0,5) a menos do esperado.

No entanto, se comparado ao último levantamento de 2015 (5,3), a escola evoluiu 0,6. Em 2007, a nota ficou 0,1 abaixo do esperado, que utilizou como referencial de meta a nota anterior de 2005.

A instituição atende alunos do ensino-fundamental II, ou seja do 6º ao 9º ano. Nossa reportagem procurou a direção da escola, porém nenhum posicionamento foi emitido até o fechamento desta edição.

E.M. Tancredo do Neves

A escola desde o ano de 2007 apresentou notas acima das metas estipuladas. No ano passado somou (6,7), com (0,6) a mais do esperado.

Administrada pelo município de Rio Paranaíba, a instituição atende alunos até o 5º ano.

E.M. Padre Goulart

A escola superou as metas desde a data da criação do índice, porém a última nota foi de (5,1), o que coloca a instituição na frente apenas da E.E. Adiron Gonçalves Boaventura.

E.M João Barbosa de Barros – Distrito de Chaves

A escola que atende os primeiros anos do ensino fundamental ficou com a nota 5,9. No sistema do INEP não consta os dados dos anos anteriores, não sendo possível traçar uma meta para os respectivo ano.

João Barbosa de Barros

Para que serve essa nota

O Ideb agrega ao enfoque pedagógico dos resultados das avaliações em larga escala do Inep a possibilidade de resultados sintéticos, facilmente assimiláveis, e que permitem traçar metas de qualidade educacional para os sistemas. O índice varia de zero a 10 e a combinação entre fluxo e aprendizagem tem o mérito de equilibrar as duas dimensões: se um sistema de ensino retiver seus alunos para obter resultados de melhor qualidade no Saeb ou Prova Brasil, o fator fluxo será alterado, indicando a necessidade de melhoria do sistema. Se, ao contrário, o sistema apressar a aprovação do aluno sem qualidade, o resultado das avaliações indicará igualmente a necessidade de melhoria do sistema.

O Ideb também é importante por ser condutor de política pública em prol da qualidade da educação. É a ferramenta para acompanhamento das metas de qualidade do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) para a educação básica, que tem estabelecido, como meta, que em 2022 o Ideb do Brasil seja 6,0 – média que corresponde a um sistema educacional de qualidade comparável a dos países desenvolvidos.

foi criado em 2007 e reúne, em um só indicador, os resultados de dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: o fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações.

Ele é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e das médias de desempenho nas avaliações do Inep, o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) – para as unidades da federação e para o país, e a Prova Brasil – para os municípios.

Triângulo Notícias – Com informações do INEP

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -