Crianças são flagradas em ‘momento íntimo’ e caso de estupro de vulnerável é registrado em Uberaba

O fato envolve três crianças, com idades inferiores a 10 anos de idade, todas do sexo masculino. O Conselho Tutelar foi acionado.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Foto: Reprodução (Ilustrativa)

Na tarde de ontem, terça-feira (06/02), a Polícia Militar de Uberaba procedeu com o registro de uma ocorrência de estupro de vulnerável. O caso envolve três garotos menores de idade do sexo masculino, sendo que dois são apontados como autores de abusos sexuais. Segundo as informações repassadas a reportagem do Triângulo Notícias, a mãe relatou que seu filho de 6 anos teria dormido na residência de sua ex-sogra na companhia de seu irmão de 8 anos e de seu primo de 9 anos.

No dia seguinte, segundo a PM sexta-feira (02/02), a ex-sogra relatou a genitora que o filho dela teria sido vítima de abuso sexual praticado por seu primo. Segundo a versão, a mulher teria flagrado as duas crianças de calças abaixadas no interior de um quarto. Questionada a vítima disse que teria sofrido penetração e que o primo sempre insistia e o provocava com insinuações sexuais.

- Continua depois da publicidade -

Após ouvir a versão a mãe co-relacionou os fatos, alegando que o menor realmente reclamava de dores na região do ânus. Os PMs compareceram até a residência dos fatos, onde o primo da vítima também disse que sofria abusos praticados pelos dois irmãos. Questionado, ele disse que na noite do flagrante não havia praticado nenhum ato sexual, apenas teria abaixado as calças. Ele também salientou que o menor de 8 anos o instigava para praticar atos sexuais. Confrontado, o outro menor disse que era o contrário o de 09 anos que o provocava.

O conselho tutelar foi acionado e acompanhou o caso. Todos os menores foram encaminhados ao hospital, onde procederam com exames. Logo após, foram devolvidos aos representantes legais

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -