Covid-19: consequências em idosos estão no foco de pesquisas científicas

Programa apoia investigações para o enfrentamento ao novo coronavírus
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Pesquisadores brasileiros estão empenhados em desenvolver pesquisas que ajudem no entendimento do novo coronavírus, que causa a doença Covid-19.  Vinculadas ao Programa de Combate a Epidemias da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), as investigações são capazes de dar respostas às diversas perguntas no âmbito do vírus e da doença. Dentre as variadas pesquisas, algumas estão se destacando por buscarem entender as consequências da Covid-19 na saúde dos idosos.

- Continua depois da publicidade -

Um dos projetos é o da fisioterapeuta Gabriele Keller, bolsista de doutorado da Capes, que pesquisa sobre os idosos domiciliados no campo. O projeto analisa os reflexos do isolamento na saúde física e psíquica na zona rural, assim como os sintomas para síndromes respiratórias, adesão às recomendações de isolamento social e o acesso às informações como aos serviços de teletriagem e telemedicina.

Outra pesquisa, esta da biomédica Luiza Lemos, busca avaliar as características clínicas e epidemiológicas de pacientes e a correlação entre o perfil de marcadores sanguíneos — que detectam liberação de substâncias no sangue por conta de infecções — com o agravamento da doença causada pelo novo coronavírus.

Além destas, a preocupação em desenvolver aparatos técnicos capazes de promover proteção dos profissionais de saúde também é foco de pesquisas. Exemplo está sendo feito pela farmacêutica Meliza Oliveira, bolsista de mestrado pela Capes, que pretende desenvolver equipamentos de proteção nanotecnológicos para profissionais da área de saúde e do comércio. Dentre as possibilidades estão escudo facial e tecidos têxteis para uniformes com características antiviral e antibacteriana, para melhorar a proteção dos profissionais e diminuir as chances de contágio.

Apoio a pesquisas no Brasil

O Programa Estratégico Emergencial de Combate a Surtos, Endemias, Epidemias e Pandemias oferece 900 bolsas de doutorado e pós-doutorado para as áreas de Epidemiologia, Infectologia, Microbiologia, Imunologia, Bioengenharia e Bioinformática.

O programa tem como objetivo apoiar projetos de pesquisa e formação de recursos humanos altamente qualificados, no âmbito dos Programas de Pós-Graduação stricto sensu, voltados ao enfrentamento da Covid-19 e em temas relacionados a endemias e epidemias típicas do País.

*Com informações do MEC

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -