Comparações “fecais”: Cocozinho de índio barra obras, diz Bolsonaro

É a segunda vez que Bolsonaro faz uma comparação desta natureza em menos de uma semana.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Comparações "fecais": Cocozinho de índio barra obras, diz Jair Bolsonaro
Foto: Reprodução (Tv Brasil Gov/NBR)

O presidente Jair Bolsonaro não para de fazer comparações “fecais”. Depois de sugerir “fazer cocô dia sim, dia não” para reduzir poluição, o político disse que cocozinho petrificado de índio barra licenciamento de obras.

A declaração foi feita ontem, segunda-feira (12/08), em Pelotas no Rio Grande do Sul. Bolsonaro participou da inauguração da duplicação da BR-116. Durante uma entrevista coletiva, ele declarou:

- Continua depois da publicidade -

Quando falam em terminal de contêiner, vale a pena. Há anos um terminal de contêiner no Paraná, se não me engano, não sai do papel porque precisa agora também de um laudo ambiental da Funai. O cara vai lá, se encontrar —já que está na moda— um cocozinho petrificado de um índio, já era. Não pode fazer mais nada ali. Tem que acabar com isso no Brasil. Tem que integrar o índio na sociedade e buscar projeto para nosso país.

Ainda em Pelotas, Jair Bolsonaro voltou a atacar a imprensa. No domingo (11), ele chamou um jornalista de mané. Desta vez ele utilizou o termo “idiota” para se referir a um jornalista.

Quando eu falei a questão do cocô foi uma resposta a uma pergunta idiota de um jornalista lá em Brasília. O idiota perguntou para mim depois de eu ter explicado que o mundo cresce 70 milhões de habitantes por ano, o Brasil cresce um pouco mais que 2 milhões de habitantes por ano. Não dá para plantar na lua e nem em marte, assim como não dá para estocar vento. Ai eu respondi assim é só você cagar menos que com certeza a questão ambiental será resolvida.

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -