Comissão da Alerj vai investigar violência de torcidas organizadas no Rio

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

As constantes brigas entre torcidas de clubes cariocas e as denúncias de envolvimento de dirigentes esportivos em irregularidades serão alvo de uma Comissão Especial na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Segundo a Alerj, o requerimento de criação da comissão, de autoria do deputado Milton Rangel (DEM), foi publicado nessa terça-feira (23), e os integrantes do grupo devem ser definidos na próxima semana. A comissão deverá iniciar seus trabalhos na primeira semana de fevereiro.

- Continua depois da publicidade -

Em nota, o deputado Milton Rangel disse que pretende "colocar o dedo na ferida", apurar responsabilidades e propor medidas que diminuam a violência. "O objetivo é ver quais são os envolvimentos e financiadores que fazem essas torcidas terem tanto poder e disposição para a briga. Hoje, em vez de promover festas nos estádios, o forte deles é a violência", afirmou.

Um dos pontos a serem abordados, segundo o deputado, é a responsabilidade das federações no enfrentamento desse tipo de violência. A comissão terá prazo de 120 dias, prorrogáveis por mais 90, para concluir seus trabalhos.

O último episódio de violência foi protagonizado por torcedores do Flamengo antes e depois do jogo entre o clube e o argentino Independiente, pela final da Copa Sul-Americana, no Estádio do Maracanã, em dezembro. Segundo a promotora de Justiça Glícia Viana, integrante do Grupo de Atuação Especializada do Desporto e Defesa do Torcedor do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), que atua na prevenção e combate à violência nos estádios, a análise de imagens indicou que cerca de 8 mil torcedores se envolveram no tumulto.

FONTE: Agência Brasil

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -