Catar ameaça retirar-se do Conselho de Cooperação do Golfo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Foto de arquivo de avião Airbus A350 XWB da Qatar Airways no aeroporto de Colomiers (França)

A Qatar Airways desviou as rotas de seus aviões após a crise diplomáticaArquivo/ Guillaume Horcajuelo / EFE

O Catar ameaçou ontem (10) retirar-se do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG), caso o cerco imposto ao país pela Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Egito não seja reconsiderado. O CCG é uma organização de integração econômica que reúne seis estados do Golfo Pérsico: Omã, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Catar, Bahrein e Kuwait. A informação é da agência chinesa Xinhua.

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Catar, Mohammed bin Abdulrahman al Thani, enviou uma carta ao secretário-geral do GCC, Abdul Latif Bin Rashid Al Zayani, definindo as exigências para o seu país não se retirar do bloco econômico.

Al Thani disse que o Catar está comprometido com as leis e convenções internacionais, especialmente no que se refere à luta contra o terrorismo e o seu financiamento, acrescentando que o país não negociará a sua soberania.

Prazo

Ele disse que o Catar daria uma notificação de três dias aos países do Golfo para levantar o “cerco” imposto ao país e compensá-lo pelas perdas políticas e econômicas. Após o prazo, o Catar anunciará oficialmente a sua retirada do GCC, de acordo com a carta.

A Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos, o Bahrein e o Egito emitiram uma lista de 13 exigências para o Catar no final do mês passado, incluindo o encerramento da emissora de TV Al-Jazeera, o financiamento e o apoio ao terrorismo, e o corte dos seus laços com o Irã, como principais condições prévias.

Além disso, os quatro países se comprometeram a adotar novos passos políticos, econômicos e legais para agravar as sanções contra o governo de Doha, depois que este se recusou a aceitar as exigências.

Em resposta, o Catar disse que as acusações do bloco de que apoia o terrorismo são “sem fundamento” e interferem em seus assuntos internos.

Novo encontro

O governo dos quatro países que acusam o Catar agendaram outra reunião de seus ministros das Relações Exteriores, a ser realizada no Bahrein, em breve, para discutir os próximos passos. Reunião semelhante já havia sido realizada no Cairo, Egito, em 5 de julho.

Tem havido especulações de que a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos e o Bahrein tencionam expulsar o Catar do grupo de países que compõem o Conselho de Cooperação do Golfo ou até comprometer a sua adesão à Liga Árabe.

Fonte: Agência Brasil

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS