Carnaval 2020: fantasia de ombreira é opção mais procurada pelos jovens

Fácil e barata, a vestimenta pode ser feita em casa; saiba mais
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O Carnaval 2020, embora seja comemorado oficialmente no dia 25 de fevereiro, já tem levado uma multidão de folião Brasil adentro há alguns dias aos bloquinhos, escolas de samba ou atrás dos trios. Mas antes mesmo da festa começar nas ruas, é na internet que o interesse pelo Carnaval se manifesta.

- Continua depois da publicidade -

Na plataforma Google Trends – que reúne as tendências de pesquisas no buscador Google – é possível ver que até 2010, por exemplo, as buscas pelas escolas de samba eram maiores que as dos bloquinhos. A partir de 2011, a tendência deu inverteu e, agora, o interesse pelos blocos de rua é cinco vezes maior.

E nos bloquinhos, as fantasias dominam entre as vestimentas dos foliões. Mulher-Maravilha até 2015 aparecia em primeiro lugar entre as mais procuradas na internet. Em 2020, a procura sobre “como fazer ombreira de carnaval?” lidera o ranking.

A procura pelas fantasias de ombreira aumentou cerca de 193% no Pinterest, sendo a fantasia mais buscada na plataforma de inspirações, de acordo com relatório da própria rede social.

Além de acessório charmoso, as ombreiras ajudam a proteger os ombros do sol. Elas podem ser feitas de fitas de tecido, fitas metalizadas, penas, pérolas, flores e o que mais a imaginação permitir.

Foliã “de carteirinha”, a jornalista Bárbara Silva, 23, customizou a própria fantasia, juntamente com as amigas. As famosas ombreiras de carnaval foram o adereço principal da vestimenta.

“Compramos um sutiã e na alça colocamos enfeites de girassol que tiramos de uma outra fantasia que já tínhamos em casa. A ombreira completa não saiu por mais de R$ 20”, conta a jovem que, neste ano, escolheu bloquinhos para se divertir.

Se você quer aprender passo-a-passo da produção, pode assistir aos canais de Moda no Youtube, que também ensinam a fazer ombreiras divertidas e baratas.

Fonte: Roberto Paim – Agência Educa Mais Brasil

 

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -