Campeão mundial de Handebol de Praia adulto, Djandro Nascimento quer reviver emoção no juvenil

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Djandro Nascimento vai comandar o time masculino juvenil no inédito Campeonato Mundial da categoria.

Antônio Djandro Ricardo Nascimento participou, como atleta, do primeiro título mundial de handebol de areia do Brasil, no Rio de Janeiro, em 2006. Desde 2010, o ex-jogador integra a comissão técnica da equipe nacional e, agora, ganha sua primeira oportunidade como treinador da seleção brasileira: vai comandar o time masculino juvenil no inédito Campeonato Mundial da categoria, que será disputado nas Ilhas Maurício, de 11 a 16 de julho, e é classificatório para os Jogos Olímpicos da Juventude de 2018.

Em fevereiro, ele fez parte da seleção juvenil como auxiliar técnico na campanha que rendeu medalha de ouro no Pan-Americano. Agora, encara o novo desafio e pode reviver sua história de campeão mundial.

- Continua depois da publicidade -

“Minha expectativa é a melhor possível. Sinto-me preparado, ciente do que preciso fazer para atingirmos nosso objetivo. Por ser o primeiro Mundial da categoria, estamos lidando com algo novo, aprendendo no dia a dia. E isso também me estimula. Os meninos já deram uma resposta positiva no Pan. Vamos mostrar nosso melhor e fazer uma excelente competição.”

O Mundial terá 16 países, divididos em quatro chaves. O Brasil está no grupo A, com China Taipei, Paquistão e Ilhas Maurício. O B tem Tailândia, Rússia, Venezuela e Togo. No C, estão Espanha, Argentina, Paraguai e África do Sul. No D, Portugal, Itália, Austrália e Nova Zelândia.

“Taipei tem atletas muito velozes e de bom porte físico. Paquistão tem se destacado na Ásia, inclusive na categoria adulta. Então, deve ter um trabalho de base reformulado e competitivo. E as Ilhas Maurício têm uma equipe que, sendo anfitriã, certamente se preparou bem. É uma chave equilibrada. Temos um time jovem, formado recentemente, e vamos impor nosso estilo de jogo. Vamos para sermos campeões e fazermos valer o título pan-americano”, destacou Djandro.

Sobre os outros grupos, o treinador do Brasil destacou a tradição das escolas europeias e as possíveis surpresas.

“A Venezuela fez um Pan muito bom, terminando em terceiro. A Tailândia tem um trabalho mais longo e pode dificultar para os adversários. A Espanha é a atual campeã europeia e faz um jogo muito forte. E seguindo a tradição da escola, tem Portugal e Itália, segundo e terceiro colocados no Europeu.”

Sistema de disputa

Os três primeiros colocados das chaves A e B formarão o grupo I, e os três melhores da C e da D estarão no grupo II. Então, serão dois novos grupos com seis países em cada um, e os quatro primeiros de cada lado avançam para as quartas de final.

Chaves

Grupo A: Brasil, China Taipei, Paquistão, Ilhas Maurício
Grupo B: Tailândia, Rússia, Venezuela e Togo
Grupo C: Espanha, Argentina, Paraguai e África do Sul
Grupo D: Portugal, Itália, Austrália e Nova Zelândia

Por: Fernanda Oliveira – Esporte NET

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -