Caminhoneiros interditam MGC-354 em protesto contra o aumento dos combustíveis

O ato acontece no trecho do município de Presidente Olegário nesta segunda-feira (21/05).
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Foto: Hamilton Amorim

Matéria: Hamilton Amorim/Vanderlei Gontijo
Fonte: P.O Notícia

Um grupo de caminhoneiros de Presidente Olegário e região do Alto Paranaíba interditaram na manhã desta segunda-feira (21/05) a MGC-354, no município de Presidente Olegário. A ação está ocorrendo no KM-151 e acompanhada pela Polícia Militar Rodoviária (PRE) e Polícia Militar de Presidente Olegário.

- Continua depois da publicidade -

Os manifestantes fecharam com tratores e pneus, os dois sentidos de tráfego da rodovia. Estão passando pelo local apenas veículos leves, ônibus a ambulância.

O ato teve início às 10h00, próximo ao Auto Posto Presidente e os manifestantes devem permanecer no local até por volta das 12h00. Milhares de caminhoneiros autônomos do país estão empenhados em parar o tráfego nas rodovias brasileiras. Na BR-040 serão três trechos de manifestações.

A classe cobra que o governo reduza a zero a carga tributária sobre o diesel e, podem contar com apoio de outras categorias que têm o combustível como principal custo.

Para se ter uma ideia sobre o preço abusivo dos combustíveis que não param de aumentar, em Presidente Olegário, a gasolina está sendo negociada a R$ 4,849, o diesel a R$ 3,849, já o etanol está sendo comercializado a R$ 2,99.

O grupo que organiza o protesto espera contar com o maior número de caminhoneiros autônomos. “Nosso protesto será pacifico e esperamos a adesão de um grande número de caminhoneiros autônomos e, inclusive de empresas de transporte da região, queremos mostrar para esse governo a força de nossa classe”, disse um dos organizadores do protesto.

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -