Câmara prosseguirá com denúncia contra Lásaro Borges

Comissão processante investigará quebra de decoro parlamentar. Em caso de comprovação, o vereador está sujeito a cassação do mandato.

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Lásaro Borges (PSD) - Vereador de Patos de Minas
Lásaro Borges (PSD) foi eleito com 732 votos nas eleições de 2020
Foto: Divulgação (Câmara Municipal)

A comissão processante que apura denúncia contra o vereador Lásaro Borges (PSD) decidiu pelo prosseguimento das investigações. A informação foi confirmada na tarde desta sexta-feira (24).

Lásaro Borges será investigado por quebra de decoro parlamentar em virtude da acusação de suposta promessa de emprego em troca de votos nas eleições de 2020.

As datas das audiências já foram marcadas. No dia 5 de outubro (terça-feira), o vereador Lásaro Borges e o denunciante serão ouvidos. As testemunhas de acusação será ouvidas na quarta-feira (6/10) e as de defesa na quinta-feira (7/10).

O advogado de acusação, Thiago Queiroz, informou que acredita que as supostas atitudes de Lásaro Borges caracterizam estelionato eleitoral, abuso de autoridade política, compra contumaz e específica de votos e corrupção eleitoral.

Em nota, Lásaro Borges, negou as acusações e diz que a investigação será uma oportunidade de provar a inocência:

Está sendo uma excelente oportunidade para demonstrar aos meus pares e à toda população patense a insubsistência da estória arquitetada por este Senhor, seja pela total ausência de provas a sustentá-la, seja pela essência que a mesma se encerra não passando de uma inverdade das mais descaradas que poderia ser veiculada.

A comissão processante é presidida pelo vereador Daniel Gomes (PDT), com relatoria de Gladston Gabriel (PODEMOS). Elizabeth Maria (DEM) também faz parte da comissão.

ENTENDA O CASO

Um idoso de 70 anos, líder comunitário de Lenhosos, alega que durante a campanha de 2020, Lásaro lhe prometeu um emprego em troca de votos e dos serviços de cabo eleitoral. Ele ainda alegou que após a vitória foi contratado como motorista particular do parlamentar, porém foi dispensado em seguida. Também existe a acusação de que a contratação e a dispensa foram assinados em conjunto.

Lásaro Borges nega conhecimento da promessa e das alegações e afirma que provará a inocência nas instâncias competentes. A denúncia também foi protocolada no Ministério Público.

🔔 ATIVAR NOTIFICAÇÕES

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Os comentários não representam a opinião do Patos Notícias. A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.