Cais do Valongo vai ganhar centro cultural para contar sua história

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

O Ministério da Cultura vai criar o Centro de Interpretação do Cais do Valongo no Armazém Docas Dom Pedro II, na zona portuária do Rio de Janeiro. O prédio histórico foi projetado pelo engenheiro negro André Rebouças e abriga atualmente a Organização Não Governamental Ação da Cidadania, que dividirá o espaço com o novo equipamento cultural.

O ministro, Sérgio Sá Leitão, anunciou a medida em um seminário hoje (15) do Circuito Cultura Gera Futuro, no Rio de Janeiro. Ele disse que já foi assinado com a Secretaria de Patrimônio da União o acordo de cessão do espaço ao Ministério da Cultura. “Agora vai ser muito mais fácil reunir os interessados e construir uma solução pactuada.”

Rio de Janeiro - O Cais do Valongo, principal porto de entrada de escravos nas Américas, é reconhecido como Patrimônio da Humanidade pela Unesco (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Cais do Valongo, principal porto de entrada de escravos nas Américas – Fernando Frazão/Agência Brasil

O espaço terá informações sobre a importância histórica do Cais do Valongo, porto do mundo que mais recebeu africanos escravizados. O ministro disse que a criação do centro faz parte do compromisso do governo brasileiro com a Unesco, que declarou o Cais do Valongo Patrimônio Mundial. O modo de implantar o projeto será discutido com a sociedade por meio de consultas públicas, seminários e encontros. 

O Ministério da Cultura também anunciou que vai reinaugurar na próxima segunda-feira a fachada da Biblioteca Nacional, que está há oito anos coberta por tapumes. 

Apesar da obra, a biblioteca estava aberta e teve um recorde de visitantes em 2017, com 100 mil pessoas. Para Sá Leitão, esse número deve crescer com a conclusão da obra. “Foi uma obra de altíssimo nível”, destacou.

Outra obra que terá uma etapa concluída é a reforma do Palácio Capanema, prédio histórico que abriga a sede do ministério no Rio de Janeiro. Segundo Sá Leitão, a reforma da fachada, do teto do pilotis e das esquadrias. Essa etapa da reforma custará R$ 34 milhões, do programa PAC Cidades Históricas/Avançar, e a próxima já está em preparação. “Estamos finalizando o projeto de maneira que haja continuidade”. 

O Rio de Janeiro foi a 17ª cidade a receber o seminário, que busca capacitar produtores culturais, artistas e gestores públicos a apresentar projetos mais qualificados e, por outro lado, sensibilizar empresas a direcionar recursos a essas iniciativas via leis de incentivo.

FONTE: Agência Brasil

🔔 ATIVAR NOTIFICAÇÕES

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Os comentários não representam a opinião do Patos Notícias. A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.