Cada vereador de Patos de Minas terá até R$ 376 mil em emendas; entenda

50% do valor deverá ser direcionado para a área da saúde. Orçamento para 2022 ainda será votado no plenário.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Orçamento Impositivos - Patos de Minas
Foto: Divulgação (Câmara Municipal)

Os vereadores de Patos de Minas terão, pela primeira vez, emendas parlamentares impositivas. Cada parlamentar terá R$ 376 mil para indicar o uso. Na prática, ele poderá direcionar como o dinheiro será empregado pelo executivo municipal. Uma das regras, estabelece que 50% do valor deve ser direcionado para a saúde, ou seja, R$ 188 mil.

proposta de emenda à lei orgânica municipal, denominada orçamento impositivo, foi aprovada em dezembro de 2020 e passará a vigorar a partir do Orçamento de 2022.

Reunião com a Secretaria de Finanças e Orçamento

Os vereadores da Câmara Municipal de Patos de Minas estiveram reunidos com representantes da Secretaria Municipal de Finanças e Orçamento, na tarde desta terça-feira (23/11), no plenário da Casa Legislativa, com o objetivo de esclarecer dúvidas sobre o Orçamento Municipal de 2022, sobretudo referentes às emendas parlamentares. A intenção dos vereadores é ter conhecimento pleno do orçamento e das finanças do Município de Patos de Minas, para, então, votarem o Orçamento de 2022, com segurança e em consonância com as reais necessidades da população.

As peças orçamentárias já foram enviadas pelo Executivo Municipal e encontram-se em tramitação na Casa Legislativa para a análise dos vereadores. São elas: PROJETO DE LEI Nº 5370/2021, que “Dispõe sobre o Plano Plurianual do Município de Patos de Minas para o período de 2022/2025”; PROJETO DE LEI Nº 5371/2021, que “Estima a receita e fixa a despesa do Município de Patos de Minas para o exercício financeiro de 2022” e PROJETO DE LEI Nº 5372/2021, que “Autoriza o Executivo Municipal a efetuar repasses financeiros de subvenções, contribuições e outros auxílios financeiros a pessoas físicas e jurídicas”.

Participaram do encontro os vereadores Professor Daniel Gomes, Professora Beth, Bartolomeu Ribeiro, Gladston Gabriel, Itamar André, Cabo Batista, Wilian de Campos, José Eustáquio, Vitor Porto, Nivaldo Tavares, Carlito, José Luiz, João Marra e Vicente de Paula. A Secretaria Municipal de Finanças e Orçamento esteve representada pelo secretário municipal de Finanças e Orçamento, Reginaldo Saulo de Andrade, e pelo diretor de Orçamento da Prefeitura, Clarindo Silva. Outros servidores da pasta também estiveram presentes no plenário, além de servidores e assessores da Casa Legislativa.

Grande parte dos questionamentos dos vereadores refere-se ao Orçamento Impositivo de 2022.

O Orçamento Impositivo fixa ao Executivo Municipal a obrigatoriedade de executar as emendas dos vereadores ao Orçamento até o limite de 1,2% da receita corrente líquida, prevista no projeto de orçamento encaminhado pelo Poder Executivo à Casa Legislativa, sendo que 50% desse percentual deverá ser destinado a serviços públicos de saúde. O texto está em consonância com a Emenda Constitucional n.º 86, de 17/03/2015, que acrescentou os §§ 9˚ a 18 ao art. 166 da Constituição Federal, que trata do Orçamento Impositivo.

Conforme explicou Clarindo, 1,2% da RCL 2022 programada equivale à R$ 6.400.000,00, valor que será dividido por 17 vereadores apresentarem as emendas. Dessa forma, cada vereador terá a possibilidade de apresentar emendas ao Orçamento de 2022 na ordem de R$ 376 mil reais, devendo ser a metade dessa verba destinada à Saúde, o que equivale à R$ 188 mil reais. Assim, o Executivo Municipal ficará vinculado ao pagamento das inserções feitas pelos vereadores no Orçamento Municipal.

De acordo com a chefe de Divisão de Contabilidade da Câmara Municipal, Adenísia de Leles Rodrigues, o orçamento total do Município para 2022 é de R$ 683.900.000,00 (seiscentos e oitenta e três milhões e novecentos mil reais). Segundo Adenísia, as emendas são instrumentos que os parlamentares possuem para participar da elaboração do orçamento anual, pelas quais os agentes políticos procuram aperfeiçoar a proposta encaminhada pelo Executivo Municipal em diversos setores. Sendo assim, “o Orçamento Impositivo representa uma oportunidade de o parlamentar atender às demandas das comunidades que representa e, dessa forma, a população participa efetivamente do gasto e da aplicação dos recursos públicos”, esclarece a servidora.

Cumpre ressaltar que, antes do Orçamento Impositivo, o prefeito não era obrigado a atender as emendas/alterações propostas pelos parlamentares. Com a aprovação da Emenda à Lei Orgânica Municipal, os próximos prefeitos ficam obrigados a cumprirem com as emendas propostas pelos vereadores, legítimos representantes do povo.

Após análise da proposta orçamentária e a apresentação das emendas pelos parlamentares, os projetos de lei referentes ao orçamento municipal de 2022 serão votados durante reunião na Câmara Municipal, a ser realizada ainda neste ano.

🔔 ATIVAR NOTIFICAÇÕES

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Os comentários não representam a opinião do Patos Notícias. A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.