Ataque armado na maior base dos EUA no Afeganistão deixa 2 mulheres mortas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Pelo menos duas funcionárias afegãs das tropas internacionais morreram e outras duas ficaram feridas nesta quarta-feira (9) após um ataque armado perpetrado na entrada da base aérea de Bagram, a maior dos Estados Unidos no país, informou à Agência EFE.

Um grupo de motociclistas não identificados abriu fogo contra as mulheres quando elas saíam da base, situada na província de Parwan, disse a porta-voz do governo provincial, Wahida Sediqi.

- Continua depois da publicidade -

“Quatro mulheres que trabalhavam na base aérea de Bagram foram atacadas a tiros após passarem pela primeira cancela do recinto. Duas delas morreram e duas ficaram feridas”, detalhou a fonte, que acrescentou que as vítimas já tinham sido ameaçadas em várias ocasiões.

Por enquanto, nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque.

O trabalho feminino é quase inexistente no Afeganistão, e os grupos insurgentes que operam no país se opõem a mulheres com emprego na esfera pública, especialmente nas tropas internacionais.

Em dezembro do ano passado, um grupo de homens armados não identificado matou a tiros cinco funcionárias do Aeroporto Internacional de Kandahar, no sul do Afeganistão, além do motorista do carro em que viajavam.

Há dois meses, outros oito guardas de segurança afegãos de Bagram, neste caso homens, morreram em uma emboscada dos talibãs quando se dirigiam aos seus postos de trabalho.

A violência no Afeganistão se intensificou em 2015 após o final da missão de combate da Organização do Tratado do Atlântico Norte, que continua no país com cerca de 13 mil agentes em tarefas de assessoria e capacitação.

Os EUA planejam aumentar o contingente de 8,4 mil soldados que estão, atualmente, no território afegão, como parte dessa operação e em missões antiterroristas.

Fonte: Agência Brasil

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -