Após ocupação das UTIs, Falcão diz que oferecerá tratamento precoce como “opção”

Segundo o Conselho Federal de Medicina (CFM), os médicos tem autonomia e podem prescrever medicamentos como hidroxicloroquina, ivermectina e azitromicina. Cientistas não chegaram a um consenso se existe alguma eficácia contra a COVID-19.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
No dia 21 de outubro de 2020, em plena campanha eleitoral, Falcão foi diagnosticado com a COVID-19. Ele ficou afastado por quase duas semanas.
Foto: Divulgação

O prefeito de Patos de Minas, Luís Eduardo Falcão (PODEMOS), publicou em suas redes sociais, neste domingo (31/01), um artigo do presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM) – Mauro Ribeiro, veiculado na Folha de São Paulo. Na sequência, criticou a politização do chamado “tratamento precoce” e afirmou que oferecerá “essa opção” a partir de 8 de janeiro aos pacientes do município.

Medicamentos como a hidroxicloroquina, ivermectina e azitromicina já são prescritos por alguns médicos que atendem na rede pública municipal. Nestes casos, o paciente tem que autorizar o uso e providenciar a compra dos fármacos.

Esse pronunciamento de Falcão aconteceu instantes depois de todos os leitos de UTI/COVID ficarem ocupados. Segundo apurado pelo Patos Notícias, até às 20h de domingo (31) não havia nenhuma vaga na terapia intensiva da rede pública. Médicos também informaram, à reportagem, que começa a faltar leitos de UTI na rede privada.

Leia a seguir a mensagem postada por Falcão nos stories do Facebook e do Instagram:

Presidente do @medicina_cfm salienta malefícios com a politização em torno do tema e diz:

“Existem na literatura médica dezenas de trabalhos científicos mostrando benefício com o tratamento precoce com as drogas citadas. Outros tantos apontam que elas não possuem qualquer efeito benéfico contra a covid-19.

Em outras palavras, a ciência ainda não concluiu de maneira definitiva se existe algum benefício ou não com o uso dessa drogas”

Eu não sou cientista, não sou médico e prefeito não tem que fazer propaganda e muito menos receitar medicamento. Tem que cuidar da cidade e fazer de tudo para preservar a vida da população.

Essa politização desse assunto está insuportável.

Conforme venho afirmando, a @prefeiturapatosdeminas já tem boa parte dos medicamentos. Desde os primeiros dias de governo estamos organizando tudo para, a partir do dia 8 de fevereiro, oferecer essa opção à população.

Depois da publicação houve repercussões de aprovação e reprovação a postura de Luís Eduardo Falcão. O ex-candidato a prefeito pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), Hermano Caixeta, repudiou no Twitter:

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
A responsabilidade pelo comentário é totalmente de seu respectivo autor. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos serão removidos automaticamente. Para denunciar um comentário ofensivo clique na bandeira vermelha.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.