Após mobilização da família, paciente dá entrada na emergência do HRAD

Maria de Fatima apresentou complicações respiratórias e por ser renal crônica também precisa de hemodiálise.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Foto: Reprodução

A família de Maria de Fátima Caixeta Sousa, de 60 anos, ficou desesperada após não conseguir vaga de UTI em Patos de Minas. A mulher deu entrada na terça-feira (14) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e teve que ser entubada devido a complicações respiratórias, água nos pulmões. Após uma intensa mobilização dos parentes, dos amigos e da imprensa, ela deu entrada na emergência do Hospital Regional Antônio Dias (HRAD) na tarde desta quarta-feira (15). Agora ela aguarda surgir uma vaga de UTI, onde fará hemodiálise.

Maria de Fatima é paciente renal há oito anos e necessita de hemodiálise. O filho dela, Tadeu Caixeta Sousa, informou que entrou em contato com a Clínica do Rim do Alto Paranaíba para tentar conseguir a hemodiálise, contudo a unidade não atende pacientes entubados ou em condição de internação. O diretor da clínica, Dr. Ricardo Borges, informou à reportagem que os hospitais públicos são responsáveis por oferecer esse tipo de atendimento.

A Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) foi procurada e questionada sobre a falta de vagas na unidade, mas não respondeu ao questionamento. Apenas informou que cabe ao município regular a transferência de pacientes.

O Patos Notícias também procurou a Santa Casa de Misericórdia e a Secretaria Municipal de Saúde, mas ainda não obtivemos posicionamento oficial.

No início da tarde desta quarta-feira (15), a família e a Secretaria Municipal de Saúde de Patos de Minas chegou a informar que Maria de Fátima seria transferida para Pacaratu, contudo o pedido foi recusado tempo depois. Agora ela segue aguardando um leito regular no HRAD.

Em nota, a Associação dos Pacientes Renais Crônicos informou que acompanha a situação e dialoga com a Clínica do Rim para encontrar uma alternativa para realizar a hemodiálise caso não seja possível no HRAD. Leia a íntegra:

A família está sendo orientada e tendo todo o suporte necessário. A Paciente já está no HRAD pois tem direito a vaga 0, caso a unidade não faça a Hemodiálise, já intermediamos junto a Clínica do Rim, que se comprometeu a ajudar e irá aceitar a paciente para dialisar e aliviar o quadro. Necessário lembrar que o problema de falta de vagas de UTI é geral, a Santa Casa não inaugurou de verdade, não tem habilitação, foi apenas uma inauguração política, cerimônia política. O outro hospital continua habilitado e recusando vagas ao SUS. Se essa situação de dificuldade de vagas persistir a associação irá ajuizar outra ACP para garantir o atendimento na rede particular.

Nas redes sociais, familiares e amigos também reclamaram da burocracia de liberação dos 30 leitos de UTI recém-inaugurados na Santa Casa de Misericórdia. Na segunda-feira (13), autoridades participaram da apresentação dos novos leitos. O prefeito, Luís Eduardo Falcão (PODEMOS), e vários vereadores compartilharam fotos nas redes sociais. Apesar da inauguração, os leitos ainda necessitam de habilitação no Sistema Único de Saúde (SUS) para receber paciente.

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores. Eles não representam a opinião do Patos Notícias. Comentários com 15 votos negativos a mais que positivos são removidos.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REPORTAR ERRO

Usamos cookies para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências.  Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.