Antônio do Valle cita corte de verbas caso o contrato não fosse assinado; assista

O ex-prefeito de Patos de Minas, 2005-2008, depôs na CPI que apura supostas irregularidades na atuação da COPASA. Segundo Antônio do Valle, recursos citados pelo ex-governador eram exclusivamente relacionados a água e esgoto.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O ex-prefeito, Antônio do Valle, que governou Patos de Minas por dois mandatos, 1989-1992 e 2005-2008, foi ouvido pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura supostas irregularidades na prestação de serviços pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA).

Um dos principais questionamentos foi a respeito da suposta chantagem por parte do ex-governador Aécio Neves (PSDB). O autor da denúncia na CPI, Wilson José da Silva, disse que o ex-prefeito teria sido ameaçado que caso não assinasse o contrato com a companhia haveria um corte de verbas.

No depoimento, Antônio do Valle disse que se reuniu em Belo Horizonte com o ex-governador, Aécio Neves (PSDB). Dentre os participantes da reunião estava Elmiro Nascimento (DEM), ex-deputado estadual.

Antônio do Valle disse que o termo chantagem é forte e talvez não seja o mais apropriado para descrever a situação que aconteceu. Teria ocorrido, segundo ele, uma certa ameaça na qual caso o contrato não fosse assinado haveria um corte de recursos.

Depois da oitiva, em entrevista ao Patos Notícias, Antônio do Valle destacou que as verbas que o ex-governador fazia referência estavam relacionadas aos serviços de água e de esgoto da COPASA. Segundo ele, não houve ameaça com relação a outros repasses do governo estadual como aqueles relacionados a saúde e a educação.

Sobre a possibilidade de criar uma autarquia em Patos de Minas, Antônio do Valle explicou que na época, 2008, a legislação não permitia a separação dos serviços de tratamento de água e de esgoto, ou seja, ou o município cuidava dos dois ou repassava para a COPASA. O ex-prefeito argumentou que naquele momento não havia viabilidade para a prefeitura assumir a prestação dos serviços.

Foto: Lélis Félix (Patos Notícias)

O vereador Mauri da JL (MDB) requisitou a convocação da ex-prefeita, Béia Savassi (DEM), para prestar depoimento na CPI. Ela será ouvida em breve no plenário da câmara.

Suposto prejuízo de R$ 30 milhões

O vereador, José Eustáquio de Faria Junior (PODEMOS), relator da CPI, apresentou o relatório de uma ação de 2011 que apurou que a infraestrutura da rede de esgoto municipal estaria avaliada em mais de R$ 39 milhões. O contrato firmado com a COPASA contemplou o pagamento de uma indenização de R$ 9 milhões pela infraestrutura.

Questionado sobre a diferença de R$ 30 milhões, Antônio do Valle disse que a comissão, que conduzia as negociações com a COPASA, fez a avaliação do valor justo pela infraestrutura do município.

O ex-prefeito também disse que os vereadores da época aprovaram a assinatura do contrato. O relator, José Eustáquio, confirmou a informação e citou que apenas um parlamentar, daquela legislatura, votou contra.

Assista o trecho:

Assista a íntegra da oitiva:

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.