Agricultores familiares podem consultar produtos que terão bônus em julho

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Em julho, os agricultores familiares que produzem arroz em casca, amêndoas de babaçu e cacau, cana-de-açúcar, cará ou inhame, cebola, erva-mate, feijão caupi, laranja, manga, maracujá, milho, sorgo, tomate, trigo e triticale terão direito a um bônus do governo federal para compensar os baixos preços dos produtos no mercado. A medida faz parte da Política de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF).

lavoura agricultura familiar

Política do governo garante preços mínimos para produtos da agricultura familiarElza Fiúza/Arquivo/Agência Brasil 

A lista de julho foi definida com base em pesquisa de preços de mercado efetuada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no mês passado e publicada hoje (10) no Diário Oficial da União.

Segundo a Conab, o bônus é concedido sempre que o valor de mercado de algum dos produtos da PGPAF ficar abaixo do preço de garantia e deve ser utilizado como desconto para pagamento ou amortização de parcelas de financiamento no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

No caso do arroz em casca, por exemplo, o valor médio de mercado em Mato Grosso é de R$ 40,26 a saca de 60 kg, enquanto o preço de referência é de R$ 41,97. Já a amêndoa de babaçu é vendida entre R$ 1,30 e R$ 2,30 nos estados do Ceará, Maranhão, Pará, Piauí e Tocantins, abaixo do preço de garantia de R$ 2,87. O cacau, no Amazonas, é comercializado a R$ 4,55, enquanto o preço de referência é R$ 5,45.

Os valores são calculados mensalmente pela Conab e encaminhados à Secretaria Especial da Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário. Os preços de referência do mês de julho entram em vigor hoje e valem até 9 de agosto.

Fonte: Agência Brasil

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS