Adolescentes acautelados recebem o carinho da família durante festa em homenagem ao Dia das Mães

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Os braços entrelaçados com carinho estampam um amor de mãe e filho que ultrapassa qualquer barreira. Nesta semana, a cuidadora Adriana Soares trocou o horário no trabalho e atravessou a cidade para participar da Festa da Família do Centro Socioeducativo Santa Clara, no bairro Capitão Eduardo, região Nordeste de Belo Horizonte. Ao lado do filho, João*, de 17 anos, que cumpre medida socioeducativa na unidade há um mês, Adriana era só sorrisos: “Apesar do desvio no caminho, ele sabe que eu estou aqui para a gente superar isto junto”.

A presença de mães, pais, tios e irmãos no Centro Socioeducativo Santa Clara, na tarde dessa quinta-feira (10/5), deixou a celebração em homenagem ao Dia das Mães ainda mais especial. Durante todo o período, adolescentes acautelados na unidade participaram de apresentações de música e dança e também religiosas, além de presentearem as mães com lembranças produzidas em aulas e oficinas da escola. O apresentador da festa animou os participantes com sorteios e desafios trava-língua, em que os jovens participavam e ganhavam prêmios para dar às famílias.

“É muito importante a família estar junto no cumprimento da medida socioeducativa. A parceria com as famílias, além de dar mais tranquilidade para o trabalho das equipes técnicas, garante mais chance de sucesso nas intervenções que fazemos pela ressocialização dos adolescentes”, explica Julio Gomide, diretor geral do CSE Santa Clara.

Durante a Festa da Família, 16 adolescentes do CSE Santa Clara receberam certificados de conclusão do curso de profissionalização Jovens Profissionais do Futuro, oferecido pela ONG Rede Cidadã. O projeto visa promover o desenvolvimento humano e profissional, possibilitando a eles maior conhecimento de seus potenciais, habilidades e desejos, e direcionando para possibilidades de entrada no mercado de trabalho.

Para Adriana, muito além das atrações, a oportunidade de passar algumas horas junto ao filho fez todo o esforço para chegar à unidade valer a pena. “Não aprovo os erros dele, mas também não vou abandoná-lo nunca. Ele é um menino que preza pela família, e sabe que parceiro mesmo, depois de Deus, só a mãe e os irmãos”, diz.

Abraçado forte junto à mãe, João* reconhece a importância deste apoio para conseguir reconstruir sua vida quando terminar de cumprir a internação: “Independentemente de onde a gente está, o laço da família é o que fica”.

* Nome fictício

<

p style=”text-align: right;”>FONTE: Agência Minas

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS