“A vergonha é verde e amarela”, diz post do governo sobre assédio

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A controvérsia gerada pelos brasileiros na Rússia durante esta Copa do Mundo levou o governo federal a fazer postagens nas redes sociais de repúdio ao assédio e críticas à violência contra mulher. É uma campanha de combate ao ato de cinco brasileiros que fizeram um vídeo com comentários jocosos ao lado de uma mulher russa.

- Continua depois da publicidade -
Imagem usada no post do governo federal contra casos de assédio a mulheres.

Imagem usada no post do governo federal no Twitter contra o assédio a mulheres faz referência a caso na Rússia (Secretaria de Política para Mulheres/Reprodução)

No Twitter do governo federal (@governodobras), foram postadas três imagens, nas quais um homem desenhado aparece à esquerda com a boca aberta como alguém que pronúncia algo desagradável, em seguida há as frases de efeito, a começar com: “A vergonha é verde e amarela”. As imagens são assinadas pela Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM).

As postagens foram ao ar por volta das 13h desta quinta-feira (21). A primeira delas diz ainda: “A atitude de alguns envergonhou e gerou indignação em todo o país. Seja no Brasil, na Rússia ou em qualquer lugar, temos que combater a violência contra a mulher”.

Nas duas outras postagens há os dizeres “O assédio sempre revela pior lado” e “Não alimente monstro do assédio”. Em todas as postagens, há a orientação para não aceitar violência de qualquer tipo e denunciar.

“Não tem espaço para o assédio onde existe o respeito! #Disque180 e denuncie!.”

O Ministério Público Federal do Distrito Federal abriu inquérito para apurar se os brasileiros que gravaram o vídeo cometeram crime de injúria.

FONTE: Agência Brasil

- Continua depois da publicidade -

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -