"A literatura me salvou" diz autor que convive com doença degenerativa

Carlos Reis Agni lançou o livro "Diário do Conflito", romance místico sobre superação.

Compartilhe

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Público prestigiou o lançamento da obra.
Foto: Tatiany Carvalho

Uma noite para celebrar a superação. O lançamento do livro Diário do Conflito, realizado no último dia 14 de setembro, às 19 horas, na Livraria Leitura, no Shopping Bela Vista, reuniu amigos e admiradores do escritor baiano Carlos Reis Agni. Abandonado pelo pai quando criança, Carlos sofreu um acidente aos 9 anos de idade e, desde então, passou a conviver com uma doença degenerativa que, pouco a pouco, lhe roubava os movimento. Mas não a vontade de viver. “Fui desenganado aos 13 anos. Eu já estava sentenciado a não passar dos 16 anos”, relembra. 

O menino Carlinhos sobreviveu graças à dedicação da enfermeira Nancy Santiago, que fez questão de prestigiar o lançamento do quinto livro do ex-paciente. Preso à uma cadeira de rodas, ele não permitiu que a atrofia o limitasse. A arte foi sempre seu maior instrumento de superação. Através da literatura, percorreu caminhos que muitos diriam impossíveis. “A medicina desenganou mas o amor o salvou. Fico muito fez de acompanhar sua caminhada. Ele chegou muito mais longe do que eu imaginava”, fala emocionada Santiago. 

Carlos Reis Agni e Nancy Santiago
Carlos Reis Agni e Nancy Santiago.
Foto: Tatiany Carvalho

Músicos da Associação Filarmônica Carlos Gomes, ONG que preside em Santo Antônio de Jesus, abrilhantaram a noite. O próximo passo do escritor é dedicar-se à palestras que possam inspiram outras pessoas a sair da inércia e se libertar das aflições cotidianas que são capazes de nos paralisar. “Somos sobreviventes de uma sociedade hostil e predatória. Precisamos voltar para nosso centro para ter consciência de que tudo está em uma grande ordem. Nós é que estamos em desordem”, declara com sabedoria.  

Diário do Conflito

Capa do Livro Diário do Conflito
Capa do Livro Diário do Conflito.
Foto: Tatiany Carvalho

Duas mulheres, muitos conflitos e um diário. Maria Caballeros é uma ex-guerrilheira chilena que mora nas ruas de São Paulo. Clara, uma jovem envolvida em crises existenciais. A vida das duas se une nas páginas de um antigo diário, que Maria Caballeros trazia consigo e narra histórias das lutas armadas para manter viva a resistência contra a ditadura militar no Chile. Dos escritos para o encontro real das duas personagens, o leitor mergulha em uma história que mescla realismo e ficção e torna a leitura instigante. 

Diário do Conflito é o quinto romance do baiano Carlos Reis Agni. Natural de Santo Antônio de Jesus, ele encontrou na arte um caminho para a superação pessoal. Contrariando as previsões médicas, o menino cresceu mas com movimentos cada vez mais limitados. Sessões de fisioterapia não amenizam a atrofia. “A arte foi meu refúgio. Primeiro, me dediquei às artes plásticas. Morava no meu ateliê, vivia dentro das tintas para amenizar o vazio imenso que sentia”, relembra o autor, hoje aos 52 anos.

Público voltou pra casa ansioso para a leitura
Público voltou pra casa ansioso para a leitura.
Foto: Tatiany Carvalho

Carlos resistiu até que a paralisia das mãos impediu a expressão artística nas telas. “Tive uma depressão não diagnosticada. Estava vivendo um abismo. A vida tinha perdido o sentido”, conta. No auge do desespero, transes e comunicações com seres de outras dimensões o trouxeram de volta à não só à vida, mas também à vida literária. Desses insights nasceu seu primeiro livro, Lágrimas de um Espermatozoide

As limitações físicas não o impedem de trilhar com liberdade o universo das letras. O Prelúdio do Desejo, Fronteira do Emocional foram algumas outras obras que brotaram da mente inquieta que aprendeu a olhar o sofrimento com outros olhos. “Me perdi fisicamente. Tive que rasgar o conto de fadas e me reconstruir para ajudar quem se perdeu nessa vida a encontrar o caminho”. 

O universo enigmático e místico é uma marca do autor cuja tônica da obra está associada ao despertar da consciência. Em todos os seus romances, a mensagem de superação se faz presente. “As pessoas vivem querendo fugir do sofrimento, mas ele é inevitável. A felicidade está em transcender. Buscar incansavelmente a verdade dentro de você, sem ilusão”. 

Joice, esposa de Carlos Reis Agni.
Joice, esposa de Carlos Reis Agni.
Foto: Tatiany Carvalho

Sobre o autor

Carlos Reis Agni, autor do Livro Diário do Conflito
Carlos Reis Agni, autor do Livro Diário do Conflito.
Foto: Tatiany Carvalho

Vítima de uma doença degenerativa desde a infância, Carlos Reis Agni foi desenganado na adolescência. Sobreviveu ao diagnóstico mas teve que aprender a superar a dor e as limitações físicas para seguir o curso da vida. A arte foi seu refúgio para o abismo existencial. Primeiro, as artes plásticas. Depois, ao perder o movimento das mãos, descobriu que poderia passear pela arte literária. Carlos Reis Agni assina cinco romances, dentre eles: Lágrimas de um Espermatozóide, O Prelúdio do Desejo, Fronteira do Emocional, O Oitavo Dia – Um atalho no Tempo. Diário do Conflito é sua mais recente obra, lançada em parceria com a Cazulo Editora.  

🔔 ATIVAR NOTIFICAÇÕES

QUAL SUA OPINIÃO? COMENTE!

Comments System WIDGET PACK

Os comentários não representam a opinião do Patos Notícias. A responsabilidade pelos comentários é dos respectivos autores.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NEWSLETTER

REPORTAR ERRO

Sua privacidade é muito importante pra nós! Usamos cookies, rastreadores, para exibir anúncios e conteúdos com base em suas preferências. Os cookies não permitem acesso a informações particulares, como nome, endereço, etc. Conheça nossa política de privacidade e nossos termos de uso.